De volta ao topo

Causas Da Doença Venosa

Causas da doença venosa

Existem várias razões para a ocorrência de doença venosa. Os médicos chamam estas razões de fatores de risco. Alguns fatores de risco são muito bem documentados enquanto outros aparecem citados de vez em quando.
Aqui vamos falar sobre os diversos fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento das telengiectasias e veias varicosas.
Se você tiver algum desses fatores de risco você pode se beneficiar da prevenção da doença que nós vamos conversar depois.
As pesquisas mostram que a idade, ou seja, ficar mais velho, é um dos fatores de risco mais importantes no desenvolvimento da doença venosa. À medida em que as pessoas envelhecem, os problemas venosos se tornam mais aparentes. Mas isso não quer dizer que jovens não possam ter a doença. Pequenos problemas que começaram cedo, vão progressivamente aumentando, tornando-se maiores e mais aparentes.
Há também uma diminuição da produção, do corpo, de colágeno, além do enfraquecimento da parede venosa e perda de material elástico com o passar do tempo. A dilatação da parede das veias, que ficam menos elásticas e mais facilmente propensas a “vazar” resultam nessas veias mais dilatadas, visíveis e no inchaço das pernas.
É por isso que há um aumento das veias varicosas na população mais idosa. É importante lembrar que, embora os pacientes idosos tenham 50% mais chances de sofrer de insuficiência venosa, não existe pesquisa científica que sugere que o tratamento venoso deles deva ser diferente do tratamento dos pacientes mais jovens.
Sabe-se também que a doença venosa ocorre em famílias. Existem estudos que mostram o alto índice de doença venosa em filhos daqueles que têm doença venosa. Ainda existe muita pesquisa e investigações para serem feitas nessa área, mas nós podemos dizer com certeza que se você tem algum membro da família que tenha veias varicosas, você tem uma probabilidade maior de desenvolver varizes ou telengiectasias.
Assim como a hereditariedade é importante, a etnia também é. Caucasianos têm uma incidência maior de veias varicosas quando comparados a hispânicos, asiáticos e negros. Enquanto a doença venosa tem um componente genético muito importante, temos que lembrar que também pode ser agravado pelo estilo de vida.
A doença é muito mais frequente em cidades grandes e industriais, onde ficar sentado muito tempo no carro ou na frente do computador ou televisão é muito mais frequente do que se movimentar pelo dia.
A habilidade de mover os tornozelos e os pés é muito importante e deve ser considerada. A musculatura da panturrilha funciona como uma bomba impulsionando o sangue contra a gravidade de baixo para cima, em direção ao coração. Se essa movimentação ou a amplitude de movimento não está adequada, a musculatura não vai bombear o sangue adequadamente, aumentando a chance dessa pessoa desenvolver a doença venosa.
Por essa razão, o uso de saltos altos é muitas vezes relacionado com a doença venosa e você pode notar que as suas pernas vão se sentir muito melhor se você usar sapatos planos que permitem a movimentação do tornozelo amplamente.
Ficar de pé parado por longos minutos, com ou sem salto alto, é também um fator de risco. Pesquisas têm mostrado que quanto mais tempo você fica de pé, mais provável que desenvolva doença venosa. Da mesma forma, ficar sentado ou deitado na mesma posição por muito tempo também pode causar problemas venosos.
Pacientes que estejam internados ou restritos ao leito, têm a sua circulação venosa prejudicada, o que pode acarretar um represamento do sangue nas extremidades. Isso pode levar a um coágulo de sangue nas veias profundas (trombose venosa profunda) ou nas veias superficiais (tromboflebite superficial)
O coágulo nas veias pode causar dor e levar a consequências mais sérias.
Muitos pacientes perguntam se cruzar as pernas pode causar veias varicosas. A resposta é: não existe uma pesquisa definitiva sobre o assunto, mas provavelmente a resposta seja não. Na realidade a maioria das pessoas cruza as pernas por pouco tempo, por períodos curtos e depois movem a perna para outra posição.
É importante lembrar que manter as suas pernas numa posição única por muito tempo não é uma boa coisa para suas veias e isso pode interferir no movimento do sangue nas pernas.
Muitas pessoas acreditam que o peso é um fator de risco na doença venosa. Enquanto que um paciente que se mantém num peso estável e saudável vai se sentir melhor, a influência desse peso no desenvolvimento das veias varicosas não está muito claro. O que se sabe é que estar acima do peso vai piorar a doença venosa que já existe.
Agora, o sexo com certeza é um fator importante no desenvolvimento das veias varicosas e outros problemas venosos. As mulheres são quase que duas vezes e meia mais sujeitas a ter doença venosa do que os homens. E, por estarem mais preocupadas com o aspecto estético, procuram o cirurgião vascular mais cedo. Portanto, a procura pelo tratamento pelas mulheres é maior, mas isso não significa que os homens não apresentam a doença, apenas que procuram o tratamento mais tarde.
Enquanto boa parte desse aumento de risco ocorre por aumento dos hormônios femininos, especialmente a progesterona, a progesterona permite que a parede das veias estique e isso acaba levando a um aumento do desconforto quando os níveis de progesterona são altos.
Durante a gravidez os níveis de progesterona ficam altos por muito tempo e é por isso que as mulheres desenvolvem as teleangectasias durante as gestações. Após o sofrimento venoso por nove meses, elas muito frequentemente não retornam ao tamanho original e podem nunca mais voltar a funcionar como antes.
Alguns fatores de risco como a história familiar ou a etnia são impossíveis de mudar, mas outros fatores de risco para a doença venosa podem ser evitados:
Nós podemos aumentar a movimentação das nossas pernas durante o dia, mesmo se tivermos uma profissão que requeira que fiquemos muito tempo de pé ou sentado, nós podemos mexer o tornozelo ou os pés, ou caminhar por alguns minutos, algumas vezes durante o dia.
As mulheres podem também, com certeza, diminuir o tempo em cima de salto alto. Também podem usar a meia elástica de compressão durante a gravidez. Se vamos ficar deitados, parados por muito tempo, podemos mexer, flexionar os tornozelos enquanto estamos deitados.
Manter um peso saudável e usar a meia elástica quando nós temos que sentar, ficar de pé ou viajar, também são maneiras de diminuir o impacto desses fatores de risco.
Enquanto os cirurgiões vasculares oferecem tratamentos que são altamente eficazes, a compreensão de como a doença ocorre e as medidas de prevenção são importantíssimas para manter as veias saudáveis. 
 
Autor: Prof. Dr. Alexandre Amato
 
* Imagem do banco de imagens online Shutterstock

Average: 5 (1 vote)

Autor

Prof. Dr. Alexandre Amato: Cirurgião Vascular em São Paulo

Prof. Dr. Alexandre Amato
Cirurgião Vascular, Endovascular e Ecodoppler
Tratamento de varizes com laser(11) 5053-2222
Tudo sobre varizes e doenças vasculares
vascular.pro
Clínica de Cirurgia Vascular: Tratamento de VarizesAv Brasil, 2283, São Paulo, SP
FacebookTwitterYoutubeLinkedin

 

Amato, ACM. Cirurgia Vascular: O que você não pode ignorar. 1ª. edição. 2017
Amato, ACM. Procedimentos Médicos: Técnica e Tática. 2ª edição. 2016. Roca 
Amato, MCM. Manual do Médico Generalista na era do conhecimento. 2014. Roca