De volta ao topo

Tratamento Corretivo Da Doença Venosa

Marque já sua consulta com o vascular

as varizes e vasinhos. Avanços tecnológicos recentes permitem que nós tratemos vasinhos e veias varicosas mais efetivamente e com mais segurança do que antes.

Você já deve ter lido sobre o tratamento conservador das veias varicosas e sobre os suplementos naturais para tratamento de varizes. Aqui vamos discutir os tratamentos que são considerados corretivos, ou seja, como remover ou fechar as veias anormais e fazer as veias varicosas e vasinhos desaparecerem.

A informação contida aqui não visa substituir a consulta com o cirurgião vascular. Todas essas decisões devem ser tomadas em conjunto com o seu médico.

Veias varicosas e vasinhos são conhecidas por causar dor, sensação de peso, fadiga e inchaço. Esses sintomas podem afetar a sua habilidade para passar um dia a dia normal.

Um dos problemas graves das doenças varicosas é a formação de coágulos no seu interior, causando a tromboflebite superficial, sangramento, ou mesmo úlcera nas pernas. Pessoas que sofrem desses problemas são candidatos mais imediatos ao tratamento corretivo. E os tratamentos mais comuns para os vasinhos e veias varicosas incluem a escleroterapia para vasinhos, tratamento com laser e luz; termoablação por laser endovenosa; escleroterapia guiada por ultrassom, para veias maiores; fleboextração e a safenectomia.

Na maior parte das vezes é necessário uma combinação de métodos.

Escleroterapia.

A escleroterapia pode ser usada para tratar tanto varizes quanto vasinhos e telengiectasias. Uma agulha é usada para injetar na veia uma substância especial chamada esclerosante. Esse esclerosante vai irritar a parede da veia causando um processo inflamatório que vai colapsar essa veia que, esperamos, seja absorvida pelo corpo.

A quantidade de sessões que você vai precisar é muito variável e depende do tamanho dos vasos, do número de vasos, do tipo dos vasos que devem ser tratados e a reação do seu corpo ao tratamento. Frequentemente os pacientes precisam de algumas sessões de escleroterapia. O procedimento é realizado em consultório médico de forma ambulatorial e não há necessidade de anestésico. Normalmente todas as atividades diárias podem continuar depois do tratamento como um dia normal. O uso de meias elásticas de compressão graduada pode ser necessário dependendo do tempo, do tamanho, do número e da localização das veias que foram tratadas.

Escleroterapia com laser e luz.

Uma grande variedade de tecnologias com laser e luz, como fontes de energia estão disponíveis hoje em dia. O laser e a luz como energia, foca calor dentro das veias que serão tratadas. Esse calor vai fazer a veia se selar e ser reabsorvida pelo corpo. O laser de superfície e a luz são geralmente utilizados para tratar vasinhos menores. E múltiplas sessões podem ser necessários. O tratamento com laser é feito em consultório médico e não requer anestesia. A atividade diária normal pode ser continuada logo após o tratamento.

Escleroterapia guiada por ultrassom ou ablação química endovenosa

Também conhecida como escleroterapia guiada por ultrassom, a ablação química endovenosa é outro tratamento alternativo à cirurgia para remoção das veias varicosas. Durante o procedimento o cirurgião vascular injeta uma substância quimica irritante chamada esclerosante, dentro da veia, enquanto a injeção está sendo acompanhada por um ultrassom.

Isso permite que veias que estão abaixo da superficie da pele sejam tratadas com eficácia e segurança. A escleroterapia guiada por ultrassom causa um colapso e a veia sela e se fecha. Da mesma maneira que uma termoablação endovenosa e ela pode ser realizada com esclerosantes líquiodos ou em forma de espuma.

Este procedimento é realizado também em consultório, de modo ambulatorial e não requer anestesia. Após o tratamento é frequente a necessidade da compressão com faixas ou o uso da meia elástica de compressão graduada na perna tratada. É importante voltar a caminhar imediatamente após o procedimento e continuar as atividades diárias, incluindo o trabalho. Isso faz parte da prevenção.

Uma das vantagens da escleroterapia guiada por ultrassom é que ela pode ser utilizada para tratar qualquer veia que pode ser vista no ultrassom. Muitas veias são muito curvadas ou muito pequenas para permitir que a fibra ótica do laser ou o cateter da radiofrequência passem por elas. Nessas situações, a ablação química endovenosa oferece uma maneira fácil de tratar a veia.

CLaCs - Criolaser e Crioglicose

É a associação das técnicas de escleroterapia com o laser transdérmico. O uso do frio como método anestésico e analgésico permite a aplicação com menos sintomas dolorosos. A associação dos métodos amplifica sua eficácia. Veja mais sobre o CLaCs.

Termoablação endovenosa

A termoablação endovenosa refere-se a um procedimento que envolve aquecer dentro da veia para ela se fechar. Isso pode ser feito tanto com o uso do laser ou com a energia de radiofrequência. Ambas vão criar um calor e elas substituem o tratamento da safenectomia na maioria dos casos, ou do arrancamento das veias.

Durante a termoablação endovenosa, um cateter ou fibra ótica é passado por dentro de uma agulha na veia que está danificada. Energia térmica na forma ou de ondas de radiofrequência ou de laser é emitida dentro da veia para aquecê-la. Isso vai causar uma fibrose dessa veia e ela acaba se fechando.

Com o passar dos meses, o nosso corpo absorve essa veia tratada e ela acaba por desaparecer. O procedimento pode ser realizado em day hospital ou no hospital. Logo após o procedimento é necessário o enfaixamento ou uso de meia de compressão elástica própria na perna tratada. O paciente pode caminhar e voltar às suas atividades. A maioria dos pacientes tratados por essa técnica volta às suas atividades normais já no dia seguinte.

via GIPHY

Cirurgia de safenectomia ou "arrancamento" das veias

Técnicas mais antigas no tratamento de veias varicosas incluíam ligar e arrancar essas veias. Ligar e arrancar deveriam ser feitas no mesmo momento, numa sala cirúrgica, usando anestesia, raqui-anestesia ou anestesia geral.

No passado pacientes ficavam internados por alguns dias. Mas agora eles podem voltar para casa no final do mesmo dia da cirurgia ou no dia seguinte. É necessário usar a compressão elástica por algumas semanas após o procedimento e o uso do enfaixamento após a cirurgia.

Dependendo do tipo de procedimento que foi realizado, a maioria das atividades normais, incluindo o trabalho podem ser continuados depois de alguns dias. A atividade física forte deve aguardar um tempo um pouco maior.

Flebectomia

Flebectomia, também conhecido como microcirurgia é um procedimento venoso em que as veias anormais são retiradas por meio de um pequeno furinho na pele, usando um instrumento cirúrgico especial que parece um gancho, mas é uma agulha de crochê.

O procedimento pode ser feito de forma ambulatorial no consultório, com anestesia local, ou em hospital. Neste procedimento os pontos raramente são necessários. Após o procedimento é necessário um enfaixamento local e o uso de meia de compressão graduada de uma a três semanas. Na maioria das vezes os pacientes podem voltar às atividades normais já no dia seguinte.

A flebectomia é muito útil para as veias varicosas que estão saltadas na pele. Essas veias são eliminadas e pequenas cicatrizes dos furinhos necessários podem se formar, mas tendem a desaparecer com alguns meses.

Complicações dos tratamentos das veias varicosas

Complicações graves são muito raras, entretando nenhum tratamento médico é isento de riscos. Complicações que podem ser um risco de morte seriam uma reação alérgica, uma infecção, um coágulo sanguíneo que pode ocorrer após o tratamento de veias varicosas, mas eles são bem raros. Infecção e hemorragia após uma cirurgia venosa são bem infrequentes.

Queimaduras na pele podem ocorrer após o tratamento com laser e luz e alguns pacientes podem desenvolver pequenas feridas e ulcerações na pele após a escleroterapia. Novamente: essas complicações não são frequentes e quando acontecem podem se resolver rapidamente.

Outras complicações menores, como um desconforto temporário, uma sensação de queimação, inchaço, descoloração da pele ou uma mancha avermelhada na pele pode acompanhar qualquer procedimento venoso e também desaparecem com o tempo. Para entender as expectativas e as possibilidades dos tratamentos venosos é importante discutir todas as suas preocupações com o seu cirurgião vascular.

 

 

 

Imagem por © Jean Paul Chassenet | Dreamstime.com - Lower limb vascular examination by phlebologist

Sem avaliações

Marque já sua consulta com o vascular

Autor

Prof. Dr. Alexandre Amato: Cirurgião Vascular em São Paulo

Prof. Dr. Alexandre Amato
Cirurgião Vascular, Endovascular e Ecodoppler
Tratamento de varizes com laser(11) 5053-2222
Tudo sobre varizes e doenças vasculares
www.vascular.pro
Clínica de Cirurgia Vascular: Tratamento de VarizesAv Brasil, 2283, São Paulo, SP
FacebookTwitterYoutubeLinkedin

 

Amato, ACM. Cirurgia Vascular: O que você não pode ignorar. 1ª. edição. 2017
Amato, ACM. Procedimentos Médicos: Técnica e Tática. 2ª edição. 2016. Roca 
Amato, MCM. Manual do Médico Generalista na era do conhecimento. 2014. Roca