Hipertensão Renovascular

  • admin 
Estenose renal
()

Ecxiste tratamento nos casos de estenose renal, quando o rim entra em isquemia.

Nos casos de estenose renal, o rim entra em isquemia, ou seja, não chega sangue o suficiente nele. Por isso ele alerta o corpo, através de substâncias, pedindo que envie mais sangue. O corpo entende que, aumentando a pressão, mais sangue acaba chegando. É verdade, chega mais sangue, mas as custas de uma pressão arterial bem alta. E essa pressão alta tem muitos efeitos colaterais. É um ciclo que deve ser quebrado, senão há uma deterioração da função renal e consequencias graves da hipertensão arterial.

A hipertensão renovascular pode ter duas origens: displasia fibromuscular (que acomete principalmente mulheres jovens) e a aterosclerótica (mais comum entre hipertensos resistentes). Sua prevalência não está bem estabelecida. Em hipertensos em geral varia de 0,5 a 5% enquanto entre hipertensos resistentes varia de 20 a 25%. A hipertensão, quando de difícil controle clínico, pode ter origem renovascular. É a chamada hipertensão secundária, e, nesses casos, o tratamento da estenose renal pode melhorar a pressão alta.

Os exames de diagnóstico podem ser vários: ecodoppler aorta e renais com medida de índice aorto-renal, arteriografia, angiotomografia e angioressonância.

O tratamento cirúrgico é realizado quando é estabelecido relação de causa-efeito com a estenose renal. A cirurgia aberta para retirada da placa aterosclerótica da artéria real não é mais realizada, tendo sido substituida pela angioplastia e stent por método minimamente invasivo.

O médico responsável pelo tratamento cirúrgico da pressão alta é o cirurgião vascular e endovascular.

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

nv-author-image

Alexandre Amato

O Dr Alexandre Amato é médico, professor de cirurgia vascular da Universidade de Santo Amaro (UNISA), e tem quatro especialidade médicas reconhecidas pelo MEC e respectivas sociedades: cirurgião geral, cirurgião vascular, angiorradiologista e ecografista. Formou-se na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e especializou-se em vários hospitais privados e públicos em São Paulo. Aprofundou-se em cirurgia vascular em Milão, no hospital San Raffaele da Università Vita-Salute. Quando voltou, fez seu doutorado em cirurgia cardiotorácica na Universidade de São Paulo (USP). Fundou a Associação Brasileira de Lipedema para divulgar conhecimento de qualidade às mulheres portadoras de Lipedema.