O que mais podemos fazer para evitar lesões no pé diabético?

()

O que mais podemos fazer para evitar lesões no pé diabético?

()

Todo paciente diabético deve sempre:

  • mesmo um pequeno trauma deve ser avaliado por um médico.
  • informar sempre seu médico que é diabético, principalmente em situações como num pronto socorro.
  • lavar os pés e dedos diariamente e secar cuidadosamente, principalmente entre os dedos. É muito importante secar bem os pés após o banho ou nadar. O uso de talco ou de hidratante deve ser orientado pelo médico.
  • Crie o hábito de examinar os pés diariamente a procura de lesões: cortes, bolhas, calosidades e possiveis areas de infecção. Olhe sempre entre os dedos. Se não conseguir fazer essa insepeção sozinho, peça ajuda de alguem.
  • nunca utilize bolsa de agua quente ou compressas quentes nos pés. Se sentir frio, utilize meias grossas de algodão.
  • evite extremos de temperatura nos pés. Teste a água do banho com as mãos e/ou cotovelos e cuidado com o chão quente no verão: fique atento ao asfalto, areia da praia e calçada.
  • examine seus sapatos todos os dias à procura de objetos que possam ferir, como pedrinhas, pedaços de unha, extremidades ásperas, forro rasgado, palmilha dobrada e outros.
  • mude as meias todos os dias e evite meias remendadas, furadas ou grandes demais. Use as meias do avesso, ou seja, com a costura para fora, e não para dentro.
  • use sapatos confortáveis, de tamanho adequado, e tome cuidado para que não sejam apertados, prestando muita atenção com sapatos novos.
  • não utilize sapatos sem meias. Use meias de boa qualidade e evite as de elástico apertado. Nunca utilize a mesma meia do dia anterior, pois pode haver presença de fungos, capazes de desencadear micoses e doenças da pele.
  • não utilize fita adesiva, esparadrapo ou qualquer outra no pé
  • não use sandálias com tiras entre os dedos.
  • não deixar os pés mergulhados na água.
  • evite andar descalço mesmo dentro de casa e se o fizer, muito cuidado com pedras, parafusos, pregos, vidro, e qualquer peça pequena que possa machucar.
  • não use produtos quimicos para retirar calos, muito menos com objetos cortantes. Procure sempre um médico, ou podólogo especializado e enfatize que é diabético.
  • Corte as unhas com muito cuidado e de modo reto, sem fazer pontas afiadas nos cantos das unhas. Cuidado para não se ferir. Em caso de unha encravada, procure seu médico.
  • não fume
  • procure um médico se achar que há algo errado com seus pés.

  • procure consulta em grupos de atendimento específico para diabéticos, e frequente pelo menos uma vez por ano
  • informe-se sobre sua doença, seja otimista porém não adote uma postura achando que nada vai lhe acontecer, muito menos achando que escondendo o problema nada acontecerá.
  • É melhor prevenir do que remediar.
  • Compre sapatos na parte da tarde, quando os pés estão mais inchados, para não correr o risco de comprar sapatos que irão apertar depois.

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil…

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

nv-author-image

Alexandre Amato

O Dr Alexandre Amato é médico, professor de cirurgia vascular da Universidade de Santo Amaro (UNISA), e tem quatro especialidade médicas reconhecidas pelo MEC e respectivas sociedades: cirurgião geral, cirurgião vascular, angiorradiologista e ecografista. Formou-se na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e especializou-se em vários hospitais privados e públicos em São Paulo. Aprofundou-se em cirurgia vascular em Milão, no hospital San Raffaele da Università Vita-Salute. Quando voltou, fez seu doutorado em cirurgia cardiotorácica na Universidade de São Paulo (USP). Fundou a Associação Brasileira de Lipedema para divulgar conhecimento de qualidade às mulheres portadoras de Lipedema.

Marcações: