Tromboflebite superficial

Tromboflebite superficial

Existe tratamento para a tromboflebite superficial de membros inferiores, também chamada de trombose venosa superficial.

A Tromboflebite superficial deve ser tratada pois pode causar:

Pode estar associada a várias doenças como:

Têm vários tratamentos possíveis, e a escolha deve ser feita junto com seu vascular:

  • Clínico/Medicamentoso
  • Elastocompressão
  • Cirurgia

É urgente?

  • Sim, O inicio do tratamento deve ser imediatro para evitar as complicações.

A tromboflebite superficial de membros inferiores, também chamada de trombose venosa superficial é a presença de trombo dentro de uma veia superficial, o que provoca uma reação inflamatória na parede do vaso e ao redor. Os sintomas são um cordão palpável, endurecido, avermelhado, quente e doloroso no trajeto de uma veia superficial. Um “vergão” vermelho e dolorido no membro. Pode ocorrer em veias sadias previamente ou mesmo em veias varicosas. Sabe-se que as varizes são fator de risco para a tromboflebite superficial. Outros fatores de risco são as trombofilias, ou seja doenças do sangue que causam coagulação exagerada (Fator V Leiden, G2010A, etc) e as neoplasias. Por isso a investigação da causa se faz necessária, durante ou após o tratamento. A tromboflebite superficial pode estar associada a trombose venosa profunda e a embolia pulmonar, ou seja, não é uma doença sem riscos e deve ser cuidada como tal. Existem vários tratamentos, desde o clínico com medicação e meias elásticas, até o cirúrgico. Mas a indicação depende de muitos fatores como localização, extensão, causa e outros. O médico capacitado para indicar o melhor procedimento em cada caso é o cirurgião vascular.

 

Fonte: Amato, ACM. Manual do Médico Generalista na Era do Conhecimento. Grupo Gen

nv-author-image

Dr. Alexandre Amato

O Dr Alexandre Amato é médico, professor de cirurgia vascular da Universidade de Santo Amaro (UNISA), e tem quatro especialidade médicas reconhecidas pelo MEC e respectivas sociedades: cirurgião geral, cirurgião vascular, angiorradiologista e ecografista. Formou-se na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e especializou-se em vários hospitais privados e públicos em São Paulo. Aprofundou-se em cirurgia vascular em Milão, no hospital San Raffaele da Università Vita-Salute. Quando voltou, fez seu doutorado em cirurgia cardiotorácica na Universidade de São Paulo (USP). Fundou a Associação Brasileira de Lipedema (www.lipedema.org) para divulgar conhecimento de qualidade às mulheres portadoras de Lipedema.