Tratamento endovascular da hipertensão arterial

tratamento da hipertensão

O tratamento endovascular da hipertensão arterial antes se resumia apenas aos casos de hipertensão renovascular, onde a angioplastia e muitas vezes a colocação de stents na artéria renal abriam o fluxo para os rins e permitiam o controle da pressão. Isso acontece porque o sistema renina angiotensina, principal responsável pelo controle pressórico do paciente é regulado pelos rins e substâncias aí secretadas. Cada vez mais estudos estão saindo demonstrando a eficácia da desnervação renal por radioablação como tratamento da pressão alta de difícil controle, não só a hipertensão renovascular. É um procedimento minimamente invasivo que tem como objetivo diminuir a secreção de substâncias que aumentam a pressão. O procedimento que já está liberado em 70 países e está em fase avançada de estudos nos EUA e no Japão, consiste na radioablação das terminações nervosas próximas às artérias renais.

Estudos ainda estão sendo conduzidos para garantir a eficácia do procedimento e definição da população que mais se beneficiaria com o tratamento.

Fonte: Medgadget

nv-author-image

Dr. Alexandre Amato

O Dr Alexandre Amato é médico, professor de cirurgia vascular da Universidade de Santo Amaro (UNISA), e tem quatro especialidade médicas reconhecidas pelo MEC e respectivas sociedades: cirurgião geral, cirurgião vascular, angiorradiologista e ecografista. Formou-se na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e especializou-se em vários hospitais privados e públicos em São Paulo. Aprofundou-se em cirurgia vascular em Milão, no hospital San Raffaele da Università Vita-Salute. Quando voltou, fez seu doutorado em cirurgia cardiotorácica na Universidade de São Paulo (USP). Fundou a Associação Brasileira de Lipedema (www.lipedema.org) para divulgar conhecimento de qualidade às mulheres portadoras de Lipedema.