De volta ao topo

carótida

Como se faz o diagnóstico de ataque isquêmico cerebral? Quais são os exames que devem ser realizados?

Somente o médico especialista pode identificar os exames necessários para cada caso, mas dentre os exames que podem ser solicitados estão o indolor ecodoppler (ultrassom com doppler / duplex) de carótidas e vertebrais, o eletrocardiograma (ECG), exames laboratoriais de controle de colesterol e glicemia.
Bibliografia
 

Porque o ataque isquêmico transitório é importante?

O  ataque isquêmico transitório por definição não causa danos permanentes, mas quem apresentou um AIT tem maior probabilidade de apresentar um Acidente Vascular Cerebral (AVC, derrame): 10% no ano seguinte do AIT e cerca de 5% em cada ano subseqüente. Por isso há necessidade de investigar a causa do AIT, para se  prevenir  de um futuro AVC. O AIT deve ser considerado como um alerta.
 
Bibliografia

O que causa o ataque isquêmico transitório?

AIT ocorre por estreitamento ou oclusão dos principais vasos que irrigam o cérebro (artérias carótidas e vertebrais). 

O que é um ataque isquêmico transitório ?

Os ataques isquêmicos transitórios (AIT, "início de derrame") cursam com sintomas parecidos com o acidente vascular cerebral (AVC, "derrame"), mas são de duração curta (menos de 1 hora). Pode ocorrer perda repentina da força muscular, perda de sensibilidade ou formigamento de um braço ou perna ou todo um lado do corpo. Também pode haver dificuldade de comunicação, tonturas, alteração na memória e perda subita e momentânea da visão, uma cegueira transitória, também conhecida como amaurose fugaz.

 

Páginas

Subscrever RSS - carótida