Sua demais? Muito suor? Mãos molhadas? Hiperidrose

()

 

Sua demais? Muito suor? Mãos molhadas? Hiperidrose

O suor excessivo pode incomodar muito, e em algumas situações passa a ser doença, e tem tratamento. A hiperidrose é muito frequente e tem várias causas. O Dr Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato (www.amato.com.br) fala sobre as possibilidades de tratamento desse incômodo para muitas pessoas.

O Prof. Dr. Alexandre Amato é professor de cirurgia vascular da UNISA e chefe da cirurgia vascular do Instituto Amato (www.amato.com.br). Cirurgião Vascular e Varizes?‍⚕Especialista em Lipedema, Doutor (PhD) pela USP?Médico Assist. Hosp. San Raffaele – Milão 2008 ?? Prof. da UNISA?‍??11 50532222
Escreveu vários livros (https://www.amato.com.br/livros-medicos), e está dando esse de presente para você: http://bit.ly/HistoriaCirurgia, aproveite
Siga no Facebook: https://www.facebook.com/institutoamato/reviews
Instagram: https://www.instagram.com/dr.alexandreamato/
Twitter: https://twitter.com/alexandre_amato
LInkedIn: http://bit.ly/35KxJU3
WhatsApp: (11)933183661 ou pelo link http://bit.ly/2RchoCt

Estamos à disposição na Av Brasil, 2283. Tel 11 5053-2222 ou WhatsApp 11 93318-3661. Nosso site: www.amato.com.br


— transcricao —


Olá, sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, e hoje vou falar sobre a hiperidrose. A hiperidrose é o suor excessivo, o suor excessivo nas mãos, nas axilas, nos pés. O suor é normal todo mundo sua, mas quando de uma forma exagerada pode acarretar incômodo. Então pessoas que têm dificuldade até de escrever no papel, borra muito fácil, tem receio de cumprimentar outras pessoas ou ficam em situações sociais desagradáveis. Nesse caso a hiperidrose deixa de ser um suor normal e passa a ser uma doença. A hiperidrose pode ocorrer desde por fatores emocionais: ansiedade, até por uma doença. Então, obviamente isso tem que ser avaliado pelo profissional. Qual que é o especialista em tratar a hiperidrose? É uma doença curiosa porque como tem vários tratamentos diferentes, vários especialistas podem ajudar. Então o dermatologista é uma especialidade que pode ajudar com um dos tratamentos associado ao botox. O cirurgião torácico é outro especialista juntamente com o cirurgião vascular, com o tratamento cirúrgico com a secção do nervo que causa a hiperidrose. E o endocrinologista também pode ajudar. Então é uma doença de atuação multiprofissional. Isso às vezes atrapalha um pouquinho porque, não há um especialista que faça todos os tratamentos e às vezes acaba havendo muita dúvida de qual o melhor tratamento para seguir. Eu costumo pensar da seguinte maneira: os tratamentos mais invasivos, cirúrgicos eles devem ser colocados em última opção e inicialmente deve-se tentar o tratamento clínico. Existe medicação: tenta com a medicação, tem várias medicações diferentes de classes diferentes. Então a gente começa por esse caminho. Depois existem os tratamentos mais invasivos, mas não necessariamente cirúrgicos, como por exemplo a infiltração de toxina botulínica e outros. E até o tratamento final que seria a secção do nervo. Muitas vezes é feito o tratamento drástico inicialmente. Pode ter uma sudorese compensatória em outros locais então estava muito preocupado com as axilas ou com as mãos. Faz o tratamento e passa a ter uma sudorese compensatória em pés por exemplo. Então existe uma fase de autoconhecimento também para descartar a possibilidade de um fator emocional muito importante. Porque é muito frequente que ocorra em mulheres, em adolescentes, em pessoas que estão numa fase da vida onde a inclusão social é muito importante, e isso acaba afetando e há uma necessidade de resolver rápido e esse resolver rápido às está resolvendo um sintoma de uma outra coisa, uma ansiedade, uma fobia e você acaba tratando o sintoma e não não trata a causa. Então, a hiperidrose tem que ser avaliada com muito cuidado. Tem que ser feito um acompanhamento prolongado. Não adianta ficar pulando de médico em médico porque cada um vai ter uma opinião diferente. Sim, porque o dermatologista tem um tratamento; o cirurgião torácico tem outro tratamento; o vascular tem outro tratamento. O endocrinologista tem outro tratamento e até se a gente for pensar nos fatores emocionais, o psiquiatra tem outro tratamento. Então, se você pular de especialidade e especialidade vai acabar ouvindo uma sequência de tratamentos diferentes. Agora, siga a minha opinião no sentido em que: não comece pelo mais invasivo. Comece sempre pelo menos invasivo e vá progredindo lentamente. Gostou do nosso vídeo? Curta! Compartilhe! Siga nosso canal e até a próxima.

LEIA TAMBÉM:  Dieta cetogênica

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

nv-author-image

Alexandre Amato

O Dr Alexandre Amato é médico, professor de cirurgia vascular da Universidade de Santo Amaro (UNISA), e tem quatro especialidade médicas reconhecidas pelo MEC e respectivas sociedades: cirurgião geral, cirurgião vascular, angiorradiologista e ecografista. Formou-se na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e especializou-se em vários hospitais privados e públicos em São Paulo. Aprofundou-se em cirurgia vascular em Milão, no hospital San Raffaele da Università Vita-Salute. Quando voltou, fez seu doutorado em cirurgia cardiotorácica na Universidade de São Paulo (USP). Fundou a Associação Brasileira de Lipedema para divulgar conhecimento de qualidade às mulheres portadoras de Lipedema.