Hematomas pelo corpo

Se você já se deparou com manchas roxas pelo corpo, pode estar se perguntando sobre suas causas e como tratá-las. Essas manchas, conhecidas como hematomas, são causadas pelo extravasamento de sangue na pele, devido a ruptura dos vasos sanguíneos. Elas podem ser causadas por diversos fatores, como fragilidade dos vasos sanguíneos, pancadas, alterações nas plaquetas ou da capacidade de coagulação do sangue. Além disso, doenças como hemofilias, trombocitopenias, infecções virais e doenças autoimunes também podem contribuir para o surgimento de hematomas. Neste artigo, vamos explorar as principais causas de hematomas pelo corpo, bem como as opções de tratamento disponíveis para aliviar essas manchas e garantir a sua saúde.

Sumário

Mustela Gel Arnica E Calêndula Bio 100Ml – Refresca Hidrata E Alivia Inchaços E Hematomas Das Quedas E Batidas – Para Os Pequenos Dodóis Das Crianças Com 97% De Ingredientes De Origem
Hirudoid 5mg/g Gel 90g
Gel Massageador Arnica Sport Fisio Canforado - Alivio de Dor Muscular - Relaxmedic
Mustela Gel Arnica E Calêndula Bio 100Ml – Refresca Hidrata E Alivia Inchaços E Hematomas Das Quedas E Batidas – Para Os Pequenos Dodóis Das Crianças Com 97% De Ingredientes De Origem
Hirudoid 5mg/g Gel 90g
Gel Massageador Arnica Sport Fisio Canforado - Alivio de Dor Muscular - Relaxmedic
R$ 55,90
R$ 141,18
Price not available
-
-
-
Mustela Gel Arnica E Calêndula Bio 100Ml – Refresca Hidrata E Alivia Inchaços E Hematomas Das Quedas E Batidas – Para Os Pequenos Dodóis Das Crianças Com 97% De Ingredientes De Origem
Mustela Gel Arnica E Calêndula Bio 100Ml – Refresca Hidrata E Alivia Inchaços E Hematomas Das Quedas E Batidas – Para Os Pequenos Dodóis Das Crianças Com 97% De Ingredientes De Origem
R$ 55,90
-
Hirudoid 5mg/g Gel 90g
Hirudoid 5mg/g Gel 90g
R$ 141,18
-
Gel Massageador Arnica Sport Fisio Canforado - Alivio de Dor Muscular - Relaxmedic
Gel Massageador Arnica Sport Fisio Canforado - Alivio de Dor Muscular - Relaxmedic
Price not available
-

O vídeo trata sobre o aparecimento de manchas roxas na pele, especificamente nas áreas dos braços, mãos e pernas. O Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular, explica que o aparecimento de roxo nessas áreas sugere algum tipo de trauma. No entanto, o roxo em outras áreas do corpo, como tronco, rosto e pescoço, sugere uma doença da coagulação ou algum problema no sangue. Ele também menciona que a idade pode ser um fator, já que pessoas mais velhas tendem a ter maior fragilidade capilar e, portanto, são mais propensas a desenvolver manchas roxas. Além disso, ele menciona que alguns casos, como a presença de grandes hematomas em jovens mulheres que nunca menstruaram, podem ser indicativos de algum problema de saúde.

Olá, sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje eu vou falar sobre roxos nas na pele, nos braços, nas mãos e nas pernas. Você tem muito roxo? Aparece muito roxo do nada em você? Você conhece quem tem bastante roxo? Manda esse vídeo, pega o link ali em cima, encaminha pro WhatsApp para aquela pessoa que você sabe que vai ajudar, porque aqui eu vou dar a dica de como identificar o problema e como tratar, o que tem que fazer. Então tenho certeza que pode ajudar muita gente. Então, em primeiro lugar, o roxo nos braços e nas pernas sugere algum trauma, não tô falando que é trauma ainda, mas tô falando que sugere. Quando a gente vê o roxo, o hematoma equimose, aliás, eu tenho um vídeo inteiro falando de hematoma, equimose, petequia, eu vou colocar um link aqui pra quem quiser se aprofundar no assunto. Aqui eu vou falar do do roxo em geral. Então, pra quem tem o roxo no tronco, no rosto, no pescoço, já sugere uma outra coisa, que é uma doença da coagulação, uma doença do sangue. Então, primeiro pra gente separar, né? Quem tem o roxo nos membros, por que a gente tá pensando em trauma? Porque é a é a área que tá mais sujeita a pequenas batidas ou mesmo até na cama dormindo pode ter um pequeno garrote com lençol, isso pode já ser o suficiente pra causar um roxo em quem tem uma fragilidade capilar, por exemplo. Agora, aquele roxos, petéquias que surgem sem trauma nenhum, vão sugerir alguma doença, algo que tá causando isso, também aqueles roxos que aparecem em grande quantidade, mais de cinco roxos de uma vez com mais de um centímetro, tá acontecendo alguma coisa, é melhor passar em avaliação médica. Agora a gente pode ver pela idade também, quem tá tendo roxo, tem mais idade, é mais idoso? Então normalmente vai acontecer no dorso das mãos, no antebraço, parte da frente da perna, no tornozelo, são regiões onde a pele fica mais fina, fica mais adelgaçada, diminui o colágeno e até os vasos tem uma fragilidade capilar, então não precisa mais daquele trauma que era necessário antes pra ter um grande roxo, um grande extravasamento de sangue. Então pode ser só essa fragilidade por causa da idade. Agora em jovens já pode ser outras coisas, pode ser uma uma purpura simples, pode ser uma menorragia que também tá associada com sangramentos e hematomas. Agora, um jovem, uma jovem mulher, por exemplo, que nunca menstruou, não sabe ainda se tem uma doença da coagulação e começa a aparecer grandes hematomas, é uma informação. Agora, se a moça já menstruou, ou seja, sabe que o sangue pode coagular, ou seja, a menstruação vem e passa e tá tendo roxo, é outro problema que a gente tem que investigar. Agora, existem as deficiências nutricionais também que podem levar esses roxos frequentes. Então, por exemplo, a deficiência da vitamina K. Se você tem uma deficiência da vitamina K, você pode não ter a capacidade de coagular direito. Então, a vitamina K que tá presente nas verduras verdes escuras, ela é muito importante na nossa cascata da coagulação. Mas tem outra que é muito importante também, que é a vitamina C. Eu também tenho falando da vitamina C e a saúde vascular, eu vou colocar aqui, mas a a falta da vitamina C leva o escorbuto, escorbuto faz o roxo em tudo quanto é lugar, então é muito importante a gente ter a vitamina C e vitamina K adequada no nosso corpo, agora a doença celíaca, doença inflamatória intestinal. Nessas situações, por exemplo, você pode até tá ingerindo a vitamina, mas ela não tá, você não está absorvendo, porque a a parede do intestino não tem essa capacidade de de absorver em vigência de uma doença inflamatória. Então, às vezes você pode tá comendo direito, mas não está absorvendo o você tem uma deficiência nutricional, apesar da alimentação adequada. Existem vários medicamentos que aumentam a os sangramento. Então, tanto os anticoagulantes, tanto os anti anti-agregante plaquetário anti-inflamatórios, tanto os anti-inflamatórios não esteroidais, quanto os corticos esteroides, todos eles podem aumentar o sangramento. Agora, existem vários fitoterápicos também que podem influenciar na sua cascata da coagulação. Existem doenças familiares, doenças hereditárias que podem aumentar a chance de sangramento. Então, são as hemofilias. Uma das hemofilias frequente é a doença de Von Willebrand. Tenho até um um caso pra contar de doença de Von Willebrand. E óbvio, tinha que acontecer comigo, né? Eu tinha um cachorro, um pastor alemão que tinha doença de Von Willebrand, então, qualquer pequeno machucadinho que ele tinha, ele sangrava um monte. Então, é uma doença da cascata da coagulação, ele não tinha a capacidade de coagular do sangue, acabar fechando uma pequena ferida. É óbvio que o pastor alemão é muito peludo, a gente acabava não vendo os hematomas que ele fazia, mas sim, ele fazia hematoma, tanto que ele tinha uma irmã que morreu de um grande hematoma, essa a gente não fez o diagnóstico, mas também provavelmente era uma doença de Von Willebrand também. Agora em seres humanos, a doença de Von Willebrand é uma doença genética, rara. Rara mais ou menos, pode acometer até um a dois por cento da população. Com o meu cachorro, quando quando ele sangrava, eu acabava resolvendo com Super Bonder e funcionava que era uma maravilha, mas eu não recomendo isso pra seres humanos, é melhor passar no hematologista e fazer o adequado. A doença hepática, né? Doença do fígado crônica também pode levar a alteração da coagulação e aí pode ser tanto por hepatite por abuso alcoólico, a hepatite alcoólica crônica, tudo isso vai causar depressão da vitamina K que é essencial na cascata da coagulação, então qualquer coisa que afeta o fígado pode levar a formação de roxos nas pernas e nos braços, assim como o uso de algumas drogas ilícitas, tanto por causa de contaminação, então pegando hepatite, mas também como dano local, direto no fígado. Agora uma outra doença muito comum que acaba trazendo os hematomas e roxos, nas pernas, é o lipedema. O lipedema que é aquela deposição de gordura nas pernas, em coxas, em braços também. Essa gordura é depositada em vigência de inflamação crônica, só que ela traz também uma fragilidade capilar, então são mulheres, o lipedema acontece em mulheres que numa fase de estresse, numa fase de grande inflamação, acabam aparecendo roxo sem nem saber da onde nas pernas. E nos idosos é muito frequente também aquela purpura senil que é aquele adelgaçamento da pele que eu falei. Agora existem outras causas mais raras de roxo que seriam as doenças da coagulação genética, então já falei da Von Willebrand, mas existem dezenas de outras alterações da cascata da coagulação. Eu não vou encher vocês com a cascata da coagulação inteira, mas ela é um grande complexo de fatores que um atua no outro pra aumentar ou diminuir a coagulação, mas assim, quando todos estão funcionando direitinho, o nosso sangue, ele tá fluindo líquido dentro do vaso e ele coagula quando tem um utrauma. Agora, quando tem um aumento dos fatores pró-coagulantes ou uma diminuição dos anti-coagulantes, eu vou ter a formação da trombose, o contrário, se eu tenho uma diminuição dos fatores pró-cogaulantes e o aumento dos fatores naturais anti-coagulantes, eu vou ter as hemofilias que podem levar a formação de roxo e hematoma. São várias as causas, não vou ficar enumerando todas elas, tem que passar no cirurgião vascular ou no hematologista pra investigação dessas causas. Algumas doenças do tecido conectivo também podem levar a aumento do roxo, por exemplo, a síndrome de Ehlers Danlos, ela é uma das mais famosas, né? Que traz a hipermobilidade, mas tem uma grande gama de doença do tecido conjuntivo, porque o tecido conjuntivo, tecido conectivo, ele que mantém as nossas estruturas no local. E as nossas artérias e veias também precisam do tecido conjuntivo funcionando direitinho pra elas não serem frágeis. Ainda nas causas mais raras, nós temos algumas doenças endocrinológicas como a síndrome de Cushing, como hipotireoidismo e ainda alguns tumores malignos hematológicos também podem levar a esses roxos. Agora sabendo de tudo isso você percebeu que roxo nos braços e nas pernas pode não ser nada de importante mas pode ser alguma doença bem grave. Então a dúvida é: quando procurar o médico? Quando que você tem que ficar atento e que sinais que você tem que ficar atento? Então em primeiro lugar se os roxos estão aparecendo em algum lugar que não é comum, então por exemplo, pescoço, face, né? São lugares que não é pra aparecer roxo, então tem que procurar o médico. Se já teve evento de sangramento em grande quantidade, difícil de fazer parar, também tem que procurar o hematologista, vê se não não tem alguma hemofilia. Isso também, se você tem um histórico familiar, tem gente na família que tem hemofilia e já sabe, mas uma razão pra procurar o especialista ou tem várias pessoas na família que tem o sangramento e não sabem, também tem que procurar o especialista. Agora se você faz exame de sangue e tá sempre normal, mas também tem esse sangramento exagerado ou esses roxos, às vezes tem que fazer alguns exames mais específicos, mais aprofundados e aí o especialista é o recomendado. Se você for fazer alguma cirurgia e tem bastante roxo, é bom avisar o seu cirurgião porque isso também pode sugerir aí um aumento de um sangramento no intraoperatório. Gostou do nosso vídeo? Inscreva-se no nosso canal, clica no sininho, espera um pouquinho que eu vou colocar o próximo melhor vídeo pra você assistir e até o próximo!

O que são manchas roxas pelo corpo?

As manchas roxas são causadas pelo extravasamento de sangue na pele, devido a ruptura dos vasos sanguíneos, muitas vezes provocado por fragilidade dos vasos sanguíneos, pancadas, alteração das plaquetas ou da capacidade de coagulação do sangue.

Essas manchas podem aparecer como púrpuras ou equimoses, aparecem e desaparecem espontaneamente, sem causar sintomas, ou podem apresentar uma leve dor local. Além de pancadas, algumas das principais causas para o surgimento de manchas roxas na pele são:

Causas de hematomas (manchas roxas) pelo corpo:

Traumas ou pancadas

Traumas ou pancadas podem ser uma das principais causas de manchas roxas pelo corpo, conhecidas como hematomas. Quando ocorre uma pancada ou lesão, os vasos sanguíneos podem se romper, causando o extravasamento de sangue para o tecido subcutâneo. O sangue, então, acumula-se na área lesionada, formando uma mancha roxa ou equimose. Esse processo ocorre devido ao sangue coagulado que fica estagnado no local, e que pode causar uma dor localizada. Além disso, essas manchas podem ser mais visíveis em áreas onde a pele é mais fina, como no rosto e nos braços. Em casos mais graves, essas lesões podem exigir tratamento médico para evitar complicações e garantir a recuperação adequada.

Hemofilias

As hemofilias (contrário da trombofilia que causa trombose) são distúrbios da coagulação do sangue que podem causar manchas roxas pelo corpo. Elas ocorrem devido a uma deficiência de fatores de coagulação, como o fator VIII (hemofilia A) ou o fator IX (hemofilia B). Isso faz com que o sangue não coagule normalmente, levando ao risco de hemorragias espontâneas e aumentando a probabilidade de hematomas e equimoses. Além disso, as hemofilias também podem estar associadas com trombocitopenias, que são distúrbios que afetam o número de plaquetas no sangue, tornando-as insuficientes para coagulação adequada. Com isso, os indivíduos com hemofilias e trombocitopenias estão mais propensos a desenvolver hematomas e equimoses, principalmente em áreas como os joelhos, cotovelos e mãos. Estes indivíduos devem ser acompanhados de perto por um médico especialista para que possam ser tratados adequadamente e evitar complicações.

O vídeo apresenta o cirurgião vascular Dr. Alexandre Amato falando sobre o sangue ralo, ou sangue fino, que pode ocorrer em pessoas que estão anticoaguladas ou antiagregadas e não conseguem formar coágulos, levando a sangramentos excessivos ou hematomas. Ele explica que o sangue é um órgão complexo com substâncias pró-coagulantes e anticoagulantes em equilíbrio, e que a cascata de coagulação é importante para evitar sangramentos excessivos. O médico fala sobre os diversos mecanismos envolvidos no processo de coagulação, incluindo as plaquetas, e como a anticoagulação pode ser desejada para tratar doenças como trombose venosa. Ele discute também as principais causas do sangue fino, incluindo medicamentos anticoagulantes e antiagregantes, deficiência de vitamina K, doenças do sangue e hemofilias. O médico conclui encorajando as pessoas a compartilhar o vídeo com aqueles que possam se beneficiar das informações e pedindo sugestões para próximos vídeos.

Olá, sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vou falar sobre o sangue ralo, sangue fino, aquela pessoa que tá anticoagulada, antiagregada que não consegue formar coágulo, que fica sangrando demais ou que fica com roxo demais, você tem isso, você conhece alguém que tem, manda esse vídeo pra quem você acha que pode ajudar, pode copiar o link lá em cima, mandar no no grupo de WhatsApp da família. Se alguém tá tomando anticoagulante, antiagregante, esse vídeo vai ajudar. A ideia aqui é trazer informações úteis pra sua saúde e pra você evitar algum problema que o sangue fino, sangue ralo pode causar. Então, em primeiro lugar, é preciso sangue ralo pode causar. Então, em primeiro lugar, é preciso entender que o sangue, ele é um órgão muito complexo. Existem substâncias pró coagulantes e anticoagulantes no seu interior, pra que ele fique líquido. Ele não é igual a água, que se deixar paradinho vai continuar a água. O sangue, ele tem equilíbrio dessas substâncias e é é brilhante, chama-se cascata da coagulação, é um assunto extremamente complexo, legal, é um fator que acaba desencadeando outro fator que desencadeia outro e aí quando tá no equilíbrio, ele continua líquido. Então, quando ele sai do equilíbrio, ele pode pender ou prum excesso de coagulação, que acaba virando trombose, acaba formando coágulo ou ele pode pender prum pruma de coagulação, que seria o estado de anticoagulação ou o que as pessoas chamam comumente aí um sangue ralo, um sangue fino, um sangue que que não coagula. Então, por que que a cascata de coagulação é importante? Porque se você se corta, faz um machucado, tem a a secção de um vaso, ele vai ter que parar de sangrar em algum momento, senão você vai se exvair em sangue. O que que o nosso corpo tem pra evitar se exvair em sangue. O que que o nosso corpo tem pra evitar esse esse sangramento tem vários mecanismos, o primeiro deles é a cascata da coagulação. Então a cascata da coagulação teve alguma lesão no no vaso vai liberar expor um fator tissular esse fator do tecido né? Que mostra dentro mostra no sangue uma molécula que não deveria aparecer e essa molécula vai é como se fosse o botão de ligar da da cascata de coagulação, né? Liga e aí desencadeia todo o processo de formação de coágulo, então esse coágulo vai sendo formado e depois vai fibrina, essas linhas de fibrina vai vão formar uma rede que é o tampão que vai acabar fechando o a área de sangramento. O corpo também tem outros mecanismos, área de sangramento. O corpo também tem outros mecanismos, né? Então se a gente secciona um vaso, ele vai se contrair e apertar tentando diminuir esse sangramento também. E uma das células mais importantes nesse processo todo são as plaquetas, né? São as as células anucleadas que não tem núcleo, né? Aquela célula que devem ter visto colégio que são pequenininhas, mas só que elas secretam um monte de substância e elas fazem parte de todo esse processo ativamente. Então, no início da cascada da coagulação, elas vão emitir pseudopods vão emitir como se fossem assim patinhas pra grudar uma na outra e conseguir formar esse esse tampão. Só por essa pequena explicação, você já percebeu que tem vários fatores envolvidos. E depois que a gente forma o coágulo, a gente tem que ter o processo de desfazer esse coágulo, senão a gente também obstruindo, tendo uma coagulação intravascular disseminada, que também é uma catástrofe. Então, a gente tem que ter o processo todo pra equilibrar isso. Só que se a que ter o processo todo pra equilibrar isso. Só que se a gente tem um defeito em algum desses fatores e pode ser em um só, a gente não vai coagular de forma adequada e vai levar mais tempo pra formar um tampão e vai continuar sangrando. E o que acontece quando tem essa anticoagulação ou natural ou adquirida por medicamento, vou chegar nesse nesse assunto ainda. A gente pode ter um sangramento excessivo, você se machuca e sangra por mais tempo, sangra em quantidade maior, leva muito tempo pra parar de sangrar. Eu, por exemplo, tinha um cachorro que tinha doença de e volta e meia ele sangrava demais, aí a gente acabava colocando Super Bonder ali pra ele parar de de sangrar, não tô recomendando ninguém a usar isso. Mas pode ter roxo inexplicado que fica aparecendo no corpo batidas, muitas vezes isso pode ser uma fragilidade capilar, muitas vezes derivada aí de nas mulheres de um de um lipedema por exemplo, tem um um canal inteiro de lipedema, adoro falar de lipedema. Pode aparecer petéquias, petéquias são pequenas manchinhas roxas ou púrpuras embaixo da pele. Em casos mais graves pode ter muito vômito com sangue, pode ter fezes com sangue e isso acaba sendo bem grave. Mas também pode ter sangramento nas acaba sendo bem grave. Mas também pode ter sangramento nas articulações, pode ter sangramento gengival, quando vai escovar o dente, pode ter dor de cabeça, tontura, náusea, vários outros sintomas que também pode tá relacionado a falta de coagulação ou com sangue fino. Hoje em dia a causa mais frequente do sangue fino é o causado por um medicamento que são os anticoagulantes ou os antiagregantes plaquetários. Então os anticoagulantes mais comuns são medicamentos que vão atuar no no metabolismo da vitamina K aí evita que a vitamina K seja usada pra produzir os coagulantes necessários pro nosso corpo. Existem outros medicamentos também mais modernos como os medicamentos que atuam em um fator só, tem vários no mercado hoje em dia. E o que eles fazem é exatamente isso, eles vão impedir algum fator aí da cascata de coagulação de passar informação pro próximo fator e aí o sangue leva mais tempo pra produzir o coágulo e o tampão. Como você pode ver a anticoagulação ela às vezes pode ser desejada, ela pode ser necessária pro tratamento de alguma doença. É fácil entender isso, é só lembrar que a trombose venosa ela é um excesso de coagulação, a gente tem que evitar o processo de coagulação e a embolia pulmonar. Agora existem também os medicamentos antiagregantes plaquetários. O mais conhecido por todo mundo é o ácido acetil salicílico, a aspirina, ele é um medicamento que destrói as plaquetas em por isso ele vai ter uma atuação até que a próxima plaqueta seja produzida. Então ao usar um antiagregante plaquetário e produzida. Então ao usar um antiagregante plaquetário e parar de usar tem que esperar pelo menos sete dias pra ter a produção de novas plaquetas funcionantes. Mas existem produção de novas plaquetas funcionantes. Mas existem outros medicamentos também anticlopidina ou clopidogréu e vários dos fitoterápicos que você acha que não tão fazendo nada no seu corpo também tem um efeito antiagregante plaquetário. Então algumas anemias também podem dificultar a coagulação então num tem os glóbulos vermelhos em quantidade adequada, pra ter falta de ar, pra ter taquicardia, pode ter um monte de coisa, mas também pode ter uma dificuldade na coagulação. Uma deficiência da vitamina K. Se você não come alimentos com vitamina K, o corpo não é capaz de produzir os coagulantes naturais. Então, a gente precisa da vitamina K no nosso corpo. E a vitamina K tá na nas verduras verdes escuras. Então, por exemplo, brócolis, agrião, rúcula, espinafre, esses são bastante ricos em vitamina K. Algumas doenças do sangue proliferativas também podem diminuir a a coagulação, algum problema hepático, né? Um problema no fígado como câncer, metástase também pode alterar todo esse metabolismo também aumentando a dificuldade de produzir coagulante natural, mas aí a gente entra nas nas doenças que são mais características, né? Que são as hemofilias. Hemofilias são doenças raras, são doenças hemofilias. Hemofilias são doenças raras, são doenças genéticas ligadas ao cromossomo X, então é muito mais frequente em homem do que em mulher. A hemofilia A, por exemplo, é a deficiência no fator oito, a hemofilia B, a deficiência no fator nove, elas são então, como eu disse, genéticas raras e normalmente teve ou alguém na família, então é mais fácil fazer o diagnóstico com histórico familiar. Podem ser leve, moderada ou grave e vai ter sangramento assim, sangramento na urina, sangramento na sangramento nasal, muito frequentemente. Então, essas são as principais causas de sangue fino, sangue ralo, da dificuldade de de coagular. Se você conhece alguém que tá em uso de anticoagulante, encaminha esse vídeo. Me explica porque que oitenta e sete por cento das pessoas que assistem os meus vídeos não estão inscritas no canal, clica lá embaixo no botãozinho vermelho pra se inscrever. Eu só passo informação de qualidade de saúde, ajuda aqui o canal a crescer, a gente precisa de vocês, escrevam lá no comentário, quero saber o que vocês acharam desse vídeo, mas eu quero saber também o que vocês tão precisando na saúde de vocês, porque é de lá que eu tiro a as dicas pra algum próximo vídeo. Espera um pouquinho que eu vou colocar o próximo melhor vídeo pra você assistir.

Infecções por vírus

Infecções, como a dengue e o Zika, podem ser responsáveis por manchas roxas pelo corpo. Isso ocorre porque essas infecções podem afetar a sobrevivência das plaquetas, que são células sanguíneas responsáveis pela coagulação. Com a redução do número de plaquetas, o sangue não coagula normalmente, aumentando o risco de extravasamento de sangue e formação de hematomas e equimoses. Além disso, infecções bacterianas também podem afetar a imunidade do corpo e causar alterações na coagulação, levando ao aparecimento de manchas roxas. Assim, indivíduos com infecções devem ser acompanhados de perto por um médico especialista para que possam ser tratados adequadamente e evitar complicações.
 

Deficiência de vitaminas e minerais

A deficiência de vitaminas e minerais, como ferro, ácido fólico e vitamina B12, pode ser responsável por manchas roxas pelo corpo. O ferro é um mineral importante para a produção de hemoglobina, que é a proteína presente nos glóbulos vermelhos responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue. Se o nível de ferro no sangue é baixo, pode ocorrer anemia, o que pode levar ao aparecimento de manchas roxas devido ao aumento da fragilidade dos vasos sanguíneos. A vitamina B12 e o ácido fólico também são importantes para a produção de células sanguíneas saudáveis e a deficiência dessas vitaminas também pode causar anemia e fragilidade dos vasos sanguíneos, levando ao aparecimento de manchas roxas. Assim, é importante garantir uma dieta equilibrada e tomar suplementos de vitamina B12 e ácido fólico para evitar essas deficiências e prevenir a formação de manchas roxas pelo corpo.

Doenças auto-imunes

As doenças auto-imunes podem ser responsáveis por manchas roxas pelo corpo devido ao seu efeito na sobrevivência das plaquetas devido a alterações na imunidade da pessoa. Por exemplo, o lúpus é uma doença auto-imune que pode causar inflamação em diversos órgãos e tecidos, incluindo vasos sanguíneos, o que pode levar à formação de manchas roxas na pele. A vasculite, que é uma inflamação dos vasos sanguíneos, pode causar a fragilidade dos vasos e aumentar o risco de extravasamento de sangue, levando ao aparecimento de manchas roxas. A púrpura trombocitopênica imune e trombótica também são doenças auto-imunes que afetam a coagulação do sangue e podem causar o surgimento de manchas roxas pelo corpo. A síndrome hemolítica-urêmica e o hipotireoidismo também podem causar manchas roxas devido a sua impacto na imunidade e função dos vasos sanguíneos. Em geral, é importante que essas doenças sejam diagnosticadas e tratadas adequadamente para prevenir o aparecimento de manchas roxas e outros problemas de saúde.

Doenças do fígado

As doenças do fígado podem ser responsáveis por manchas roxas pelo corpo devido ao impacto que elas têm na coagulação do sangue. O fígado é um órgão vital para a coagulação, pois é responsável pela produção de fatores de coagulação e pela desintoxicação do sangue. Quando o fígado está doente, ele pode não conseguir produzir esses fatores de coagulação e desintoxicação adequadamente, o que pode levar a problemas de coagulação, incluindo manchas roxas. Por exemplo, a cirrose é uma doença do fígado que pode causar diminuição dos níveis de fatores de coagulação e aumentar o risco de sangramentos e manchas roxas. Outras doenças do fígado, como a hepatite e o câncer de fígado, também podem afetar a coagulação e causar manchas roxas. É importante que essas doenças sejam diagnosticadas e tratadas o mais cedo possível para prevenir esses problemas de coagulação e outros problemas de saúde.
 

Doenças da medula óssea

 
As doenças da medula óssea podem ser responsáveis por manchas roxas pelo corpo devido à sua relação direta com a produção de células sanguíneas. Anemia aplásica, por exemplo, é uma condição na qual a medula óssea não produz células sanguíneas suficientes, levando a uma diminuição na quantidade de plaquetas e glóbulos vermelhos no sangue. Isso pode resultar em manchas roxas, conhecidas como equimoses ou petéquias, devido a uma maior fragilidade dos vasos sanguíneos e a um menor nível de coagulação. A mielodisplasia é outra doença da medula óssea que pode causar manchas roxas, pois ela afeta a produção de células sanguíneas e pode levar a uma anemia. Já câncer de medula óssea também pode causar manchas roxas, pois ele pode afetar a produção de células sanguíneas e levar a uma diminuição na coagulação do sangue.
 

Fragilidade capilar

A fragilidade capilar é uma condição que pode causar manchas roxas na pele, conhecidas como hematomas. Ela ocorre quando os vasos sanguíneos da pele estão fracos e propensos a romperem espontaneamente, causando extravasamento de sangue sob a pele. A fragilidade capilar pode ser causada por diversos fatores, incluindo envelhecimento, alergias, predisposição genética, púrpura por melancolia, deficiência de vitamina C (escorbuto), Lipedema, Varizes e insuficiência Venosa. É importante notar que, enquanto algumas dessas condições podem ser tratadas, outras não podem ser curadas, mas seus sintomas podem ser controlados. É importante consultar um médico se você estiver experimentando manchas roxas frequentes ou graves, a fim de determinar a causa subjacente e o melhor curso de tratamento.

Uso de medicamentos anticoagulantes

O uso de medicamentos anticoagulantes pode ser uma causa comum de manchas roxas na pele, pois eles têm como objetivo inibir a coagulação do sangue, aumentando o tempo de protrombina e diminuindo a formação de coágulos. Esses medicamentos incluem o uso de antivitamina K e novos anticoagulantes orais, como o warfarin, dabigatran, rivaroxaban e apixaban. O uso desses medicamentos pode aumentar o risco de hemorragias, incluindo manchas roxas na pele, devido ao aumento da fragilidade dos vasos sanguíneos. Por isso, é importante que os pacientes que utilizam esses medicamentos estejam sob supervisão médica constante, e que informem seus médicos sobre qualquer sinal de sangramento ou manchas roxas na pele.

Neste video, o Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, fala sobre hematomas, equimoses, petéquias e púrpuras, todas essas manchas roxas que podem aparecer pelo corpo. Ele explica que essas manchas são causadas pelo extravasamento de sangue de um vaso, de uma artéria, de uma veia ou de um capilar, acumulando no espaço subcutâneo. Ele também explica a diferença entre hematoma, equimose, petéquia e púrpura. Ele também fala sobre a pseudo-aneurisma, que é parecido com um hematoma, mas tem a entrada e saída do sangue e circulação de sangue dentro dele. Ele explica que essas manchas podem aparecer em qualquer parte do corpo, mas é mais visível no subcutâneo e pode ser causado por uma pancada ou lesão menor, ou pela fragilidade capilar. Ele também menciona que o corpo tem dificuldade em reabsorver o ferro do sangue quando ele está no subcutâneo, e isso pode causar problemas de saúde.

Roxos na pele? O Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato (www.amato.com.br) explica o que são os hematomas, equimoses e petéquias e o que podemos fazer para minimizar o problema.

Olá! Sou o Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vou falar sobre  hematomas, equimoses, petéquias, todas essas manchas roxas que aparecem pelo nosso corpo e  explicar a causa delas e o que a gente pode fazer para melhorar.  Então, em primeiro lugar, deixe eu explicar o que é cada um deles! O hematoma  são coleções grandes de sangue, num espaço circunscrito ali. A equimose é a ruptura de um  vaso sanguíneo causando uma área onde acumula sangue no espaço subcutâneo.  Essa área vai ficar roxa, normalmente aí tem mais de um centímetro uma equimose. Petéquias  já são aqueles roxinhos, bem pequenininhos.  Normalmente, eles aparecem numa quantidade maior, mas são bem pequenininhos e as púrpuras  são menores ainda, são pontinhos bem minúsculos de acúmulo de sangue. Todos eles  causados por extravasamento, então saída do sangue de um vaso, de uma artéria, de uma veia,  de um capilar. Acumulando então no espaço do subcutâneo.  Vou fazer uma ressalva aqui sobre o pseudo aneurisma, o pseudo aneurisma é muito parecido  com um hematoma, é um acúmulo de sangue fora do vaso,  só que onde o pertuito ainda existe.  Então tem a entrada e a saída do sangue, ainda tem circulação de sangue dentro desse  pseudo aneurisma. No hematoma não, esse sangue, ele fica lá dentro parado, ele vai  ficar como se fosse um sangue pisado, aquele sangue mais escuro, um sangue que não tem  movimentação e que muitas vezes acaba o coagulando ali mesmo.  Então eles podem acontecer em qualquer parte do corpo, aparece mais, fica mais visível  quando ocorre no subcutâneo, no subcutâneo mais superficialmente  obviamente vai aparecer mais. A tonalidade da pele pode acabar deixando mais visível ou  menos visível, essas manchas roxas. E podem acontecer por várias razões, entre elas uma  pancada, pode ser uma pancada da qual você está consciente.  Então acordou de noite, não abriu o olho, foi levantar da cama, bateu a perna e uma pancada  pode fazer um hematoma.  Muitas vezes pode acontecer também sem que você tenha essa lembrança, pode acontecer por  alguma lesão menor.  Pode ser até mesmo dormindo, um garrote feito pelo lençol ou alguma outra coisa assim.  Mas a gente tem que lembrar que existe uma fragilidade capilar, então à medida que você  tenha essa fragilidade capilar, você vai ficar mais propenso à formação dessas lesões.  Com o extravasamento desse sangue no subcutâneo,  o nosso sangue tem ferro, o ferro que vai fazer o transporte do oxigênio. E o nosso corpo  tem uma dificuldade enorme em reabsorver esse ferro quando ele está no subcutâneo.  Então pode formar essas manchas, que se tiver uma demora na reabsorção, pode se transformar  em hemossiderina e essa hemossiderina pode deixar marcado, manchado a pele, numa cor mais ocre. A  cor do hematoma da equimose dizem muito sobre o momento em que ela aconteceu.  A gente consegue determinar mais ou menos este momento exatamente por causa das cores.  Então num momento mais inicial, esse hematoma, essa equimose pode estar mais puxado para  uma cor vermelha, porque o sangue inicialmente vai estar mais carregado de  ferro com o oxigênio e ele tem então essa coloração mais vermelha. Logo em seguida,  essa coloração vai mudar para um aspecto mais arroxeada, um aspecto mais azul, mais  preto, porque vai perder esse oxigênio e vai acabar escurecendo a cor desse sangue.  Logo em seguida, o nosso corpo vai começar a converter as substâncias que tem nesse sangue  que está fora do vaso, e vai formar uma substância chamada biliverdina.  Essa biliverdina então vai deixar um aspecto mais esverdeado nessa área que move, logo em  seguida, o nosso corpo vai então transformar essa biliverdina em bilirrubina e a  bilirrubina, ela tem um aspecto mais amarelado.  Esse aspecto mais amarelado também pode vir da hemosiderina que acaba sendo  depositada. Então a gente consegue traçar a evolução desse hematoma,  de acordo com essas cores. Normalmente, vai durar em torno de vinte e dois dias, ela vai  passar por todas essas cores, até o completo desaparecimento.  A gente não tem muito como mudar isso,  todo esse processo tem que ser feito por  nosso corpo absorver esse sangue fora do vaso.  Agora o que a gente pode fazer é tentar facilitar esse processo todo.  Então o que a gente pode fazer? Logo após a pancada, se você percebeu o que aconteceu.  Você pode tentar diminuir o quanto de sangue vai extravasar para fora do vaso.  Então como a gente pode fazer isso? A gente faz com a compressa fria, a compressa fria, ela  vai causar uma vasoconstrição,  esses vasos vão diminuir de diâmetro, diminuindo então o sangramento, diminuem o  inchaço local, mas só vai funcionar se for exatamente no momento do trauma.  Não adianta ter o trauma agora é fazer compressa fria no dia seguinte, a compressa  fria tem que ser feita logo em seguida do trauma.  Essa compressa fria pode ser feita com a compressão local,  então a gente aperta essa compressa, também para diminuir o sangramento, assim como  qualquer sangramento para fora da pele,  se a gente ficar apertando, uma hora vai coagular e não vai sangrar mais.  A gente pode imaginar isso acontece no subcutâneo também,  se a gente faz essa compressa fria, apertando, a gente vai diminuir esse extravasamento do  sangue para o tecido gorduroso.  Outra dica é manter o membro elevado, ao manter o membro elevado,  a gente diminui o inchaço do edema local, também diminuindo as consequências  após o trauma.  Agora depois de 24 horas, não adianta muito fazer como eu disse a compressa fria.  O que a gente tem à disposição para fazer, aí seria a compressa morna.  Vou colocar aqui o link do vídeo do canal sobre compressa morna, por curiosidade é o nosso  vídeo mais assistido até hoje, vale a pena dar uma olhada!  Então você pode fazer a compressa morna para aumentar esse metabolismo local, diminuir o  processo inflamatório. Afinal, apesar do sangue ser nosso mesmo, o sangue fora do vaso  vai causar inflamação.  Então a gente tem que diminuir essa inflamação para diminuir toda aquela sensação  de dor no local e a compressa morna pode ajudar nisso.  E lembrando que o sol estimula a pigmentação da pele.  É muito importante a gente proteger essas áreas e o corpo todo do Sol, enquanto a  gente tem um hematomas, senão a gente pode acabar fixando lá aquela mancha.  Então o uso de protetores solares é muito importante para evitar uma mancha  nessa área de hematoma e equimose.  Existe alguns cremes, géis que podem também diminuir esse tempo de absorção do hematoma.  Mas para isso é necessário uma avaliação médica para entender que tipo de hematoma,  causa, se precisa ser feito alguma outra coisa, mas que existe, existe, mas a gente tem  que saber que a limitação desses cremes e géis.  Eles não vão fazer um processo de quase um mês, se transformar em dois ou três dias.  Ele vai acelerar, mas vai diminuir alguns dias na resolução do hematoma.  Agora se você tem a formação de hematoma muito frequentemente, a gente tem que buscar  alguma doença, alguma causa para isso.  Então assim como existem as trombofilias que são doenças que aumentam a chance de você  formar um trombo, também existem as doenças do sangue que aumentam a probabilidade de  sangramento, são as hemofilias.  Então as hemofilias são doenças hereditárias, doenças do sangue, que acabam diminuindo a  capacidade de formação do coágulo, de fechar um orifício que está sangrando.  Então se você tiver hematomas muito frequentes é importante investigar essas  doenças, investigar outras causas de formação de hematomas e que isso frequentes,  por exemplo, a fragilidade capilar desencadeada pelo lipedema. O lipedema é uma  doença da deposição de gordura nas pernas, onde a gente tem muito frequentemente, a  formação de roxos, esses roxos então são decorrentes dessa fragilidade capilar e da  inflamação do lipedema.  Então se você tiver roxo frequentemente, por favor, procure um médico especialista para  fazer essa investigação pra você.  E lembre-se que alguns medicamentos também podem te deixar mais propenso à formação de  hematomas e equimoses, como os anticoagulantes, por exemplo.  Os anticoagulantes, os antiagregantes plaquetários, entre eles alguns bem comuns, a  aspirina, por exemplo, é um antiagregantes plaquetário super comum de  ser utilizado. Os cumarínicos, os anticoagulantes novos como o Xarelta e outros  também vão deixar seu sangue com uma capacidade menor de coagulação.  Então gostou do nosso vídeo? Inscreva-se no nosso canal,  eu vou deixar aqui uma sugestão de vídeo para você seguir assistindo as melhores dicas  de saúde e compartilhe o vídeo com seus amigos, clica no sininho  lá embaixo também e até o próximo! 

Prof. Dr. Alexandre Amato

Meu irmão, Dr. Fernando Amato, cirurgião plástico também fala sobre hematomas nesse vídeo:

Neste video, o Dr. Fernando Amato, fala sobre o hematoma. Ele explica que o hematoma é uma coleção de sangue fora dos vasos sanguíneos, que pode ocorrer em qualquer parte do corpo, devido a uma lesão na parede vascular, trauma, acidente, pancada, batida e até mesmo procedimento cirúrgico. Ele menciona que também pode ser causado por doenças de coagulação ou uso de medicamentos. Ele também fala sobre as diferenças entre equimoses, petéquias e purpuras, que são manchas de tamanhos diferentes, e como a cor da mancha muda com o passar dos dias devido à degradação da hemoglobina. Ele também menciona que o acúmulo de hemossiderina na pele, rico em ferro, pode causar manchas definitivas e que a exposição solar pode aumentar essas chances.

Saiba mais sobre o Hematoma, que muitas vezes é confundido com as manchas roxas que aparecem na pele. O Cirurgião Plástico Dr. Fernando Amato (CRM 133826) esclarece tudo sobre o problema. Veja mais informações no vídeo!

Olá, sou doutor Fernando Amato, e hoje falaremos sobre hematoma.  Hematoma por definição é uma coleção de sangue fora dos vasos sanguíneos, pode  ocorrer em qualquer parte do corpo, órgão interno ou até mesmo na pele, normalmente  ocorre em consequência de uma lesão da parede vascular, pós um trauma e pode ser até por  um acidente, uma pancada, uma batida e até mesmo por um procedimento cirúrgico.  Possui outras causas clínicas que estão relacionadas a doença de coagulação ou  até mesmo o uso de algum medicamento, com isso ocorre uma passagem das células sanguíneas  para o tecido mais próximo, quando ocorre na pele aparece aqueles roxinhos que muitas  vezes são chamados erroneamente de hematomas, mas dependendo do seu tamanho tecnicamente  eles podem ser classificados como, equimoses, petéquias e purpuras.  As petéquias são pequenas manchas puntiformes, geralmente elas ficam em grupos e cada mancha  tem de 3 a 4 milímetros, a purpura são manchas um pouco maiores de no máximo 1 centímetro,  e as equimoses são machas maiores que 1 centímetro.  Chamar uma mancha de hematoma pode levar a falsa ideia que realmente existe uma coleção  de sangue e que talvez precise ser drenado.  O interessante é a evolução da cor desse roxo, da equimose, que vai depender da própria  degradação da hemoglobina que tem no sangue.  Os primeiros dias devido a hemoglobina sem oxigênio já fica um vermelho violáceo o  famoso roxinho, com o início da degradação da hemoglobina a há a formação da biliverdina  dura de uns três a seis dias e fica aquele verde meio azulado e que depois a biliverdina  vai se degradar em bilirrubina em torno de sete a dez dias ficando aquela mancha um pouquinho  amarelada e finalmente com uns dez a quinze dias fica aquela cor castanho amarronzada  que é por causa de hemossiderina até sumir.  O acumulo de hemossiderina na pele que é rico em ferro, pode causar uma mancha definitiva  e com a exposição solar pode aumentar ainda mais as chances de ficar com uma mancha definitiva.  Bom, é isso o que eu tenho para falar sobre os hematomas e as equimoses.  Caso queira acompanhar nossos assuntos acompanhe a gente nas nossas redes sociais. 

Conclusão

Em conclusão, as manchas roxas na pele, também conhecidas como hematomas, são um sinal de que algo está acontecendo no corpo. Elas podem ser causadas por traumas, distúrbios da coagulação do sangue, infecções, deficiências de vitaminas e minerais, doenças auto-imunes, doenças do fígado, doenças da medula óssea, fragilidade capilar e uso de medicamentos anticoagulantes. É importante estar atento às suas características, como o tamanho, a cor, a localização e a quantidade, pois isso pode ajudar a identificar a causa subjacente. Além disso, é importante procurar ajuda médica se você notar sinais de preocupação, como muitos hematomas, hematomas que não desaparecem rapidamente, ou hematomas que aparecem sem causa aparente. Em resumo, as manchas roxas na pele podem ser um sinal de alerta para problemas de saúde subjacentes e devem ser levadas a sério.

>
Rolar para cima
error: Alert: Content selection is disabled!!