Insuficiência venosa (varizes)

  • admin 
  • 5 min read
Varizes e Insuficiência Venosa
()

Existe tratamento para Insuficiência venosa: condição na qual as veias não são capazes de bombear o sangue de volta ao coração. 

Insuficiência venosa é uma condição na qual as veias não são capazes de bombear o sangue de volta ao coração. Isso faz com que o sangue acumule nos vasos sanguíneos, fazendo com que eles se tornem mais largos ou tornem-se varizes ao longo do tempo.

Seu médico irá realizar um exame físico e poderá pedir um ultra-som venoso para avaliar sua função venosa e verificar se há coágulos de sangue. Veja os exames necessários na avaliação de varizes. O tratamento depende da gravidade da condição e varia de mudanças de estilo de vida a ablação venosa ou flebotomia (flebectomia/fleboextração).

 

O que é insuficiência venosa (varizes)?

Insuficiência venosa é uma condição médica na qual as veias no corpo (geralmente nas pernas) não são capazes de bombear o sangue de volta ao coração. Isso faz com que o sangue acumule nos vasos sanguíneos, fazendo com que eles se tornem mais largos (varizes) ou dilatados ao longo do tempo.

Normalmente, o sangue circula do coração para as pernas através das artérias e volta ao coração através das veias. Para empurrar o sangue para cima dos pés, as veias dependem dos músculos circundantes e de uma rede de válvulas unidirecionais para impedir que o sangue flua para trás. Se as válvulas unidirecionais e músculos tornarem-se fracos ou falharem, a veia torna-se incompetente e o sangue começa a acumular na veia em vez de retornar para o coração.

Insuficiência venosa provoca sintomas tais como:

  • veias torcidas e saltadas
  • o aparecimento de cores roxas ou azuis escuras na superfície da pele
  • inchaço na perna, coceira, dor, queimação, latejamento e cãibras musculares
  • fadiga e pernas pesadas
  • manchas na pele (dermatite ocre)
  • varizes

Varizes são vasos superficiais que tornam-se ampliados e torcidos. Qualquer veia do corpo pode se tornar-se varicoso, mas a condição ocorre mais frequentemente nas veias das pernas. Varizes são diferentes dos vasinhos — as veias azuladas e/ou roxas muito pequenas que estão perto da pele e aparecem sobre as pernas e/ou rosto. Aranhas vasculares geralmente não causam dor e são mais uma preocupação estética.

Fatores de risco para insuficiência venosa incluem:

  • histórico familiar
  • gravidez e outras condições que colocam pressão sobre as veias nas pernas
  • um histórico de coágulos de sangue
  • um histórico de tabagismo
  • ficar em pé ou sentado por longos períodos de tempo
  • tendo excesso de peso, o que aumenta a pressão sobre as pernas
  • menopausa
  • envelhecimento, o que resulta na diminuição da elasticidade dos vasos sanguíneos
  • paredes de vasos sanguíneos enfraquecidas
  • inflamação das veias (conhecida como flebite)
  • constipação crônica e em casos raros, tumores

 

Complicações da insuficiência venosa incluem:

  • dor
  • inflamação e inchaço
  • úlceras na pele
  • sangramento quando estouram as veias perto da superfície da pele
  • coágulos de sangue que podem levar a trombose venosa profunda
  • tromboflebite superficial, uma condição em que as veias superficiais (mais próximas da pele) dentro das pernas tornam-se endurecidas, inflamadas e de natureza semelhante a um cordão esticado

 

Como é avaliada a insuficiência venosa (varizes)?

Seu médico primário vai começar perguntando a você sobre seu histórico médico e sintomas. Um questionário pode ser respondido. Você também passará por um exame físico.

  • Seu médico também pode pedir uma ecografia venosa, um teste que usa sonografia para ver se as válvulas nas veias estão funcionando normalmente e para procurar coágulos.

 

Como é tratada a insuficiência venosa (varizes)?

Mudanças de estilo de vida podem ajudar a prevenir a formação de varizes. Estas alterações incluem:

  • elevar as pernas enquanto estiver sentado ou dormindo
  • usar meias de compressão ou bandagens elásticas
  • evitar ficar em pé por longos períodos de tempo
  • perder peso
  • exercício para melhorar a força das pernas

Se as mudanças de estilo de vida não aliviarem os sintomas ou a dor for severa, seu médico pode recomendar opções de tratamento, incluindo:

  • Escleroterapia: este tratamento minimamente invasivo injeta uma solução diretamente na veia que faz com que o vaso encolha e acabe por desaparecer. Para as veias maiores, uma espuma é injetada para fechar e selar a veia.
  • CLaCs: Laser transdermico associado à escleroterapia
  • Ablação térmica por via endovenosa: este procedimento guiado por imagem usa energia de radiofrequência ou laser para aquecer e selar uma veia incompetente. Ultra-som ajuda a visualizar a veia incompetente, permitindo que o médico guie um eletrodo de fibra ou de radiofrequência a laser através de um cateter na veia onde o calor é aplicado.
  • Flebectomia (também conhecido como microcirurgia venosa): este procedimento minimamente invasivo usa um pequeno bisturi ou agulha para remover as varizes na superfície da perna através de pequenas incisões na pele.
  • Cirurgia de stripping da veia: um procedimento cirúrgico realizado sob anestesia geral que envolve o descascamento ou inteira remoção superficial da veia na perna. Devido aos avanços em procedimentos minimamente invasivos, este procedimento raramente é feito hoje em dia.

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Marcações:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

nv-author-image

Alexandre Amato

O Dr Alexandre Amato é médico, professor de cirurgia vascular da Universidade de Santo Amaro (UNISA), e tem quatro especialidade médicas reconhecidas pelo MEC e respectivas sociedades: cirurgião geral, cirurgião vascular, angiorradiologista e ecografista. Formou-se na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e especializou-se em vários hospitais privados e públicos em São Paulo. Aprofundou-se em cirurgia vascular em Milão, no hospital San Raffaele da Università Vita-Salute. Quando voltou, fez seu doutorado em cirurgia cardiotorácica na Universidade de São Paulo (USP). Fundou a Associação Brasileira de Lipedema para divulgar conhecimento de qualidade às mulheres portadoras de Lipedema.