Hipertensão Renovascular

Imagem de uma enfermeira medindo a pressão arterial de um paciente idoso como parte do tratamento para hipertensão arterial renovascular. A enfermeira está usando um esfigmomanômetro para medir a pressão arterial do paciente. A hipertensão arterial renovascular é uma condição em que o fluxo sanguíneo para os rins é reduzido, levando a um aumento da pressão arterial. É importante monitorar regularmente a pressão arterial para controlar a condição e prevenir complicações.

Você sabia que a estenose renal pode levar a uma isquemia do rim, causando sérias consequências para a saúde? Nesses casos, o corpo tenta compensar a falta de sangue com uma pressão arterial mais elevada, o que pode gerar muitos efeitos colaterais. Felizmente, existem opções de tratamento para melhorar a função renal e controlar a pressão alta. Quer saber mais sobre as possibilidades de diagnóstico e tratamento para a estenose renal? Continue lendo este artigo!

Neste vídeo, o doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, fala sobre a relação entre a pressão alta e a doença vascular periférica. Ele explica que a hipertensão está relacionada com o endurecimento da parede dos vasos, que por sua vez está ligado à aterosclerose, a placa arterial. Embora seja difícil determinar se a pressão alta leva à aterosclerose ou o contrário, a inflamação crônica é um fator comum aos dois problemas. A hipertensão é assintomática, enquanto a aterosclerose só apresenta sintomas quando está avançada. A obesidade, o diabetes e outras comorbidades estão frequentemente associados à hipertensão. As causas da hipertensão arterial incluem fatores genéticos, sedentarismo, obesidade, excesso de sal na alimentação, consumo de álcool e tabagismo. Para evitar e tratar a hipertensão, o doutor Amato recomenda atividade física, alimentação saudável, diminuição do sal na alimentação, controle do peso, diminuição do consumo de álcool e, sobretudo, parar de fumar.

Olá, sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, e hoje eu vou falar a correlação da pressão alta com a doença vascular periférica. Então, o que que tem a ver a hipertensão com as suas artérias, com seus vasos e o como que a gente pode evitar a piora da doença vascular, sabendo do que que a hipertensão tem a ver com tudo isso?

Então, quando a gente fala de pressão alta, todo mundo sabe que tem a ver com o coração, tem a ver com a circulação, mas exatamente onde que tá essa conexão, né? A pressão alta ela normalmente vem com uma associação de fatores, né? Então, o paciente obeso, diabético ou que tem outras comorbidades e acaba chegando à hipertensão. E a gente sabe também que a hipertensão causa o endurecimento da parede dos vasos. E esse endurecimento da parede do vaso também tá relacionado com a aterosclerose, que é a placa arterial. O que que veio antes, né? O ovo ou a galinha? O que que vem antes? É a pressão alta levando à aterosclerose ou é a aterosclerose que causa o endurecimento desse vaso e acaba levando à pressão alta?

Isso pode parecer uma besteira, mas é extremamente difícil de responder essa pergunta. Mas o que a gente sabe é o seguinte: o que que leva tanto à pressão alta quanto à aterosclerose? Os dois têm origem comum, que é a inflamação crônica. A inflamação crônica ela vai causar nas pessoas ambos problemas. O que acontece é que pra algumas pessoas, a pressão alta vai aparecer antes e pra outras pessoas, a aterosclerose vai aparecer antes.

Então, a hipertensão ela normalmente ela é assintomática, ou seja, não tem sintoma nenhum. A aterosclerose no início, ela tem sintoma nenhum. A aterosclerose no início, ela também é completamente assintomática, não tem início nenhum e lá com da vida, tanto a hipertensão quanto a pressão alta pode começar a trazer sintomas. Então, quando a pressão alta tá muito elevada e já tem muito tempo de pressão alta, pode acabar tendo alguns sintomas subjetivos, como dor de cabeça, como falta de ar, fadiga, cansaço, zumbido, tontura, sangramento nasal, às vezes até mesmo náusea, mas assim, pra pressão alta levar a esses sintomas, é bem tardio e tem que tá elevado.

Então, a grande maioria dos da das pessoas não sente nada com a pressão alta. E a aterosclerose? Bom, a aterosclerose no início também não sente nada, apesar de ser inflamatória, você pode apertar uma artéria com aterosclerose que não vai sentir nada. A questão é que quando começa a obstruir essa artéria e começa a faltar sangue mais pra frente aí sim tem a dor, tem a claudicação intermitente que eu já falei bastante aqui, é uma dor de hipóxia, ou seja, oxigênio no tecido e essa é uma dor muito muito significativa, só que ela é tardia, é quando a doença já tá bem avançada.

É difícil falar o que veio antes ou depois o ovo, a galinha, a arterosclerose ou a pressão alta se a gente considerar somente os sintomas porque a maior parte da vida não vai ter sintoma nenhum. Agora, o fator comum desses dois problemas é a inflamação e a inflamação ela tá envolvida em todos os da aterogênese que é a formação dessas placas arteriais desde o início que é o recrutamento dos monócitos, macrófagos, aquelas células de defesa até o final que é o rompimento da placa quando a placa extravasa seu conteúdo, forma o coágulo e acaba obstruindo abruptamente a irrigação de algum de algum órgão.

É muito difícil estudar esse mecanismo em seres humanos. É muito difícil estudar esse mecanismo em seres humanos porque normalmente quem chegou nesse ponto tem vários fatores em não é uma doença isolada, não é um problema isolado, tem lá diabetes, vai ter tabagismo, vai ter obesidade, vai ter inflamação crônica, vai ter um monte de coisa atuando ali naquele naquele meio metabólico insalubre.

Agora, teve um trabalho recente de 2021 que sugeriu o seguinte: em um trabalho com porquinhos, mostrou que a própria pressão elevada poderia, assim de forma direta, fazer o LDL entrar nessa parede aumentando a sua concentração e a inflamação da parede, causando então o acúmulo dessa lipoproteína de baixa densidade na parede arterial e causando uma reestruturação desse vaso, então aí seria a hipertensão causando a aterosclerose.

Agora, a hipertensão causa o endurecimento da parede do vaso ou o endurecimento do vaso causa a hipertensão? Quando a gente avalia os pacientes, por exemplo, os pacientes idosos, né? Que têm só o endurecimento da parede do vaso por causa da idade e outros fatores, a hipertensão vem por causa disso e é uma hipertensão mais sistólica do que diastólica. Nesse caso, o endurecimento pode ter vindo antes. Agora, quando a gente vê alguém que é jovem, tá obeso, tá inflamado pra burro, tem um monte de fator, por exemplo, quarenta anos, trinta e cinco com pressão alta hoje em dia não é um fator só, se fosse um fator só o corpo compensava, mas normalmente é uma associação de fatores e aí esse paciente ele pode tá com a pressão elevada, mas não teve ainda o endurecimento da parede do vaso, então que que acontece?

Nesse caso, é o coração tentando trabalhar mais, vencer essa inflamação crônica, seria como se ele tivesse carregando um peso o tempo todo, né? Afinal, no exercício físico quando a gente tá fazendo exercício físico tem o aumento da pressão, mas ele tá carregando aí essa inflamação, lutando com essa inflamação o tempo todo e aí isso acaba consequentemente levando o endurecimento da parede do vaso posteriormente.

A pressão alta ela é chamada de assassino silencioso, exatamente por causa disso porque não tem os sintomas, né? Leva muito tempo pra ter os sintomas e quando a ela se instalou a doença, ela já tem vários fatores, várias outras doenças associadas nas causas inflamatórias que tão desequilibrando o corpo.

Então, às vezes as pessoas acham, ah, eu vou tomar o remédio pra pressão alta e tá resolvido. Não, tem que mudar hábito de vida, tem que tirar todos aqueles fatores estressores, todos aqueles fatores inflamatórios que eu vivo falando aqui no canal. Se você não assistiu ainda nossa nossos vídeos, eu falo bastante, falo bastante do exercício físico, falo bastante do estresse, falo bastante da alimentação e como que isso tá envolvido na saúde vascular.

Num existe uma hipertensão. Existem várias causas de pressão alta, então normalmente quando a gente tá falando assim, a gente tá falando da hipertensão essencial que não tem uma causa bem definida, né? São vários fatores, mas existem algumas hipertensões que elas são derivadas de alguma doença. Então, tem uma especificamente que eu vou falar aqui porque ela eu consigo falar o que que veio antes, que é a hipertensão renovascular. É a hipertensão que ocorre quando tem a deposição de cálcio na parede do da artéria renal e diminui a quantidade de sangue que chega no no rim. O rim tem um um mecanismo pra tentar regular isso se tá chegando menos sangue nele, ele ele fala, opa, a pressão tá baixa, eu tenho que aumentar a pressão pra chegar mais sangue aqui, aí ele solta um hormônio ali que vai aumentar a pressão do corpo, só que na verdade não tava chegando sang

ue nele, não é por causa de uma pressão baixa, era porque tava obstruído mesmo, então essa é a hipertensão onde o início é a doença arterial, é o dano na parede arterial.

Agora, quais são as causas da hipertensão arterial? Pode ser genética; os familiares têm bastante hipertensão, a probabilidade de você ter é maior. O sedentarismo, ou seja, a falta de exercício físico ou o ato de não se mexer mais na modernidade, né? O controle remoto, a gente não precisa fazer mais nada, iFood, chega em casa tudo pronto, não preciso levantar nem pra comer. Então, o sedentarismo é um dos fatores de risco pra hipertensão também, a obesidade, então é interessante que a pessoa fica obesa, né? Aí vira hipertenso, aí começa a tratar a pressão alta, mas não trata a obesidade, mas a obesidade que é o fator de risco pra pressão se diminui a obesidade, às vezes não precisa nem mais tratar a pressão alta porque ela se normaliza.

Outra causa superfrequente na população hoje em dia é o excesso de sal na alimentação. Presta atenção, tem sal em tudo. Se você pegar uma bolacha doce ou biscoito, num sei. Escreve lá embaixo que que você acha que é o certo, mas vai ter sal, vai ter sódio. Tem na água, gente. Muitas águas por aí, tem um excesso de sódio e tem gente indicando água alcalina ou água sei lá o que e esquece de ver a quantidade de sódio, você toma um copo de água como se fosse um saquinho de sal junto, tem que tomar muito cuidado com isso.

O consumo excessivo de álcool também pode levar à hipertensão arterial. Lembrando que no início, o primeiro efeito do álcool é uma vasodilatação. Com o uso crônico e prolongado, pode causar o endurecimento da parede do vaso também levando à hipertensão arterial. Outra causa superfrequente é o tabagismo, é o cigarro, que é algo mais maléfico do que isso tá escrito na caixinha lá, não tem dúvida do quanto aquilo faz mal. Lá vai destruir a matriz celular, vai destruir a parede da sua artéria, vai levar à pressão alta, vai levar a dano vascular e vários outros danos que eu não vou nem entrar no mérito aqui.

Então, como que a gente evita a hipertensão arterial, como que a gente trata ou faz parte do tratamento não medicamentoso? É atividade física, praticar algum movimento, né? Se preocupar com a movimentação e aqui eu não tô falando fazer maratona, não, fazendo um pouquinho todo dia, algo que seja viável movimentar-se, alimentar-se bem, diminuir a quantidade de sal na alimentação, manter um peso saudável e aí entra tanto alimentação quanto exercício físico pra não entrar na obesidade, alimentos mais naturais, diminuir o consumo de álcool, não precisa zerar o álcool, tem uma pequena quantidade e sendo bem escolhido, tendo resveratrol junto, tem um vídeo inteiro falando sobre isso, dá pra ficar de um de certa forma controlado e dentro do saudável, mas parar de fumar é essencial, tem que parar. Se você ainda fuma, coloca isso como prioridade máxima, esquece o resto, coloca como meta parar de fumar.

Controlar o estresse. Parece fácil, né? Controlar o estresse. Ah, o médico receitou aqui controlar o estresse, mas saiba que existem várias formas não medicamentosas de controlar o estresse desde meditação, ioga, ir na igreja, um monte de coisa você pode fazer pra ajudar a controlar o estresse, sair dos meios estressantes em que você vive que são desnecessários pra sua vida precisando você saiba que pode utilizar um medicamento, nem que seja por um período da vida aí que esteja mais difícil.

Então, hipertensão arterial ou pressão alta ou pressão elevada é o aumento da pressão arterial sanguínea dentro dos vasos cronicamente, ou seja, não é agudamente, não é porque você leva um susto, você tem um aumento da pressão, você faz exercício, tem o aumento da pressão, eu tô falando cronicamente essa pressão elevada, isso que é a hipertensão arterial e ela leva sim ao dano estrutural na parede das artérias, causando então a má circulação.

Agora, por que que você ainda não se inscreveu no nosso canal? Clica lá embaixo no vermelhinho e inscreva-se pra receber os melhores vídeos. A gente tá fazendo vídeo aqui quase todos os dias da semana, só visando a sua saúde, a saúde da sua família. Então, compartilhe esse vídeo com as pessoas que você ama e fica aí que eu vou indicar o próximo melhor vídeo pra você assistir.

Existe tratamento nos casos de estenose renal, quando o rim entra em isquemia.

Nos casos de estenose renal, o rim entra em isquemia, ou seja, não chega sangue o suficiente nele. Por isso ele alerta o corpo, através de substâncias, pedindo que envie mais sangue. O corpo entende que, aumentando a pressão, mais sangue acaba chegando. É verdade, chega mais sangue, mas as custas de uma pressão arterial bem alta. E essa pressão alta tem muitos efeitos colaterais. É um ciclo que deve ser quebrado, senão há uma deterioração da função renal e consequencias graves da hipertensão arterial.

A hipertensão renovascular pode ter duas origens: displasia fibromuscular (que acomete principalmente mulheres jovens) e a aterosclerótica (mais comum entre hipertensos resistentes). Sua prevalência não está bem estabelecida. Em hipertensos em geral varia de 0,5 a 5% enquanto entre hipertensos resistentes varia de 20 a 25%. A hipertensão, quando de difícil controle clínico, pode ter origem renovascular. É a chamada hipertensão secundária, e, nesses casos, o tratamento da estenose renal pode melhorar a pressão alta.

Os exames de diagnóstico podem ser vários: ecodoppler aorta e renais com medida de índice aorto-renal, arteriografia, angiotomografia e angioressonância.

O tratamento cirúrgico é realizado quando é estabelecido relação de causa-efeito com a estenose renal. A cirurgia aberta para retirada da placa aterosclerótica da artéria real não é mais realizada, tendo sido substituida pela angioplastia e stent por método minimamente invasivo.

O médico responsável pelo tratamento cirúrgico da pressão alta é o cirurgião vascular e endovascular.

 

>
Rolar para cima
error: Alert: Content selection is disabled!!