De volta ao topo

Arterite de Takayasu

Takayasu
Takayasu

Fatos Rápidos

  • Arterite de Takayasu é muito mais comum em mulheres do que em homens. A doença começa geralmente em adultos jovens, mas crianças e pessoas de meia-idade podem adquiri-la, também.
  • Médicos encontram Takayasu (TAK) em angiografias. Angiografias são tipos de exames de raio-x que examinam as artérias. Na TAK, a angiografia mostra estreitamento das artérias maiores.
  • Artérias estreitadas ou bloqueadas causam problemas que variam de leves a graves. E, nesse momento que o cirurgião vascular entra em ação.
  • O tratamento de TAK quase sempre inclui glicocorticoides (prednisona e outros), que ajudam a reduzir a inflamação. Também podem ser prescritos aos pacientes medicamentos que suprimem o sistema imunológico.
  • Os sintomas de TAK refletem o fluxo sanguíneo deficiente nos tecidos e órgãos.

Arterite de Takayasu, também chamada de TAK, é uma forma rara de vasculite, doença envolvendo a inflamação nas paredes das artérias maiores no corpo: a aorta e seus ramos principais. A doença resulta de um ataque pelo sistema imunológico do próprio corpo, causando inflamação nas paredes das artérias. A inflamação leva ao estreitamento das artérias, e isso pode reduzir o fluxo de sangue para várias partes do corpo.
Arterite de Takayasu pode resultar em um pulso fraco ou perda do pulso em braços, pernas e órgãos. Por esta razão, as pessoas costumavam referir-se a doença como "doença sem pulso". Às vezes os pacientes com TAK podem não ter sintomas, e a doença é tão rara que os médicos podem não reconhecê-la facilmente. Assim, muitas vezes, há um atraso na detecção, às vezes por vários anos.
 
 
 

Anatomia: 

Artérias

Causa: 

desconhecida (autoimune, infecciosa, genética)

Diagnóstico Diferencial: 

arterite cranial, fibrose retroperitoneal, aortite sifilítica, síndrome de Ehler-Danlos, Doença de Marfan, Síndrome de Cogan, Policondrite recorrente, Lúpus eritematoso sistêmico, aortite

Epidemiologia: 

Arterite de Takayasu acomete principalmente mulheres (proporção masculino/feminino de 1:9) jovens, antes dos 40 anos, com idade de início entre 15 e 25 anos. Nos Estados Unidos sua incidência é de 3 casos/milhão de habitantes.

Fatores de Risco: 

Origem Asiática

Evolução Natural: 

O curso da AT é bastante variável, inclusive com relatos de caso de remissão espontânea.

Sinais ou Sintomas: 

Inicialmente inespecífica, apenas com sintomas constitucionais, como cansaço, febre, anorexia, perda de peso, sudorese noturna, mialgias e artralgias. Em seguida, costumam aparecer os sintomas de insuficiência arterial em decorrência principalmente da estenose das artérias.

Tratamentos Possíveis: 

Sempre procure seu médico para indicar o melhor tratamento. Não faça auto medicação. O tratamento, deve ser sempre realizado em decorrência da possível morbidade e mortalidade da doença. As principais complicações são insuficiência cardíaca, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico e insuficiência renal.

Complicações Possíveis: 

As principais complicações são insuficiência cardíaca, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico e insuficiência renal.

Código: 
M31.4
Average: 1 (1 vote)

Autor

Prof. Dr. Alexandre Amato: Cirurgião Vascular em São Paulo

Prof. Dr. Alexandre Amato
Cirurgião Vascular, Endovascular e Ecodoppler
Tratamento de varizes com laser(11) 5053-2222
Tudo sobre varizes e doenças vasculares
vascular.pro
Clínica de Cirurgia Vascular: Tratamento de VarizesAv Brasil, 2283, São Paulo, SP
FacebookTwitterYoutubeLinkedin

 

Amato, ACM. Cirurgia Vascular: O que você não pode ignorar. 1ª. edição. 2017
Amato, ACM. Procedimentos Médicos: Técnica e Tática. 2ª edição. 2016. Roca 
Amato, MCM. Manual do Médico Generalista na era do conhecimento. 2014. Roca