fbpx

Acúmulo de gordura nas pernas pode ser sinal de lipedema

Acúmulo de gordura nas pernas
()

Se você tem gordura acumulada na região das pernas, saiba que este é um sinal do lipedema, uma doença que não tem cura, mas que pode e deve ser tratada logo após o diagnóstico. O lipedema é uma doença muitas vezes confundida com outras enfermidades, como a obesidade e o linfedema. Cerca de 11% das mulheres sofrem com esse problema, mesmo sem saber. Deseja saber mais sobre o lipedema? Continue lendo.

Lipedema: a doença que provoca acúmulo de gordura nas pernas

O lipedema é uma doença de ordem genética, que atinge majoritariamente as mulheres e cuja principal característica é o excesso de gordura localizada em uma região bem específica do corpo: as pernas.

Essa gordura se espalha nos membros inferiores de forma simétrica, ou seja, de maneira uniforme, podendo se estender até aos tornozelos, sem afetar os pés.

Como saber se é lipedema, obesidade ou linfedema?

Como dissemos, o lipedema é, muitas vezes, confundido com a obesidade. Isso acontece basicamente por falta de conhecimento sobre a doença e também por causa da semelhança do seu sinal mais aparente, que é a gordura acumulada.

O lipedema é uma doença comum, mas não diagnosticada tão frequentemente pelos médicos como deveria. Além disso, quem sofre com algum depósito de gordura costuma associar rapidamente esse problema à obesidade, afinal essa é a sua principal característica também.

Tudo isso faz com que a obesidade seja responsabilizada pelos vários casos de lipedema não identificados pelo mundo inteiro.

Como vimos, cerca de 11% de todas as mulheres sofrem com o lipedema. Essa porcentagem pode ser ainda mais alta caso a doença venha a ser diagnosticada corretamente. Para isso é importante conhecer os outros sintomas do lipedema e o que o diferencia da obesidade e também do linfedema.

Principais sinais do lipedema

Veja a seguir os sintomas mais comuns do lipedema e como eles podem ser usados para excluir outras doenças.

Excesso de gordura nas pernas

A gordura acumulada na perna é o principal sinal do lipedema. Ela se instala nas pernas e nos tornozelos, de forma igualitária. Esse excesso de gordura faz com que o corpo da mulher tenha proporções irregulares. Ou seja, a parte de baixo do tronco fica mais larga do que a parte de cima.

Por isso, é muito comum que mulheres com lipedema apresentem pernas grossas, cintura fina e pouca gordura acumulada na região do abdômen, braços e pés. Em alguns casos, bolsas de gordura podem se instalar nas pernas, deixando a região mais disforme.

A obesidade, por sua vez, provoca excesso de gordura em todas as regiões do corpo, inclusive no rosto, braços, mãos e pés.

Dor na região

A gordura do lipedema é bastante inflamatória e, por isso, pode causar dor ao menor toque e mesmo que a pessoa esteja em repouso. Além de dolorida, a região das pernas também ganha mais sensibilidade do que outras áreas do corpo.

A obesidade e o linfedema não causam dor nas pernas e nem aumentam a sensibilidade dos membros inferiores.

Aumento do inchaço nas pernas

É nesse ponto que o lipedema é confundido com o linfedema. Quando tem lipedema, a mulher sofre também com um inchaço maior nas pernas. Esse inchaço piora bastante quando a pessoa passa muito tempo em pé.

O inchaço ou edema é um dos principais sinais do linfedema, uma doença que se caracteriza pelo acúmulo de linfa entre músculos e tecidos do corpo. Também é muito chamada de retenção líquida ou retenção hídrica. Entretanto, o inchaço derivado do linfedema não causa dor à mulher.

Além disso, esse tipo de edema pode ocorrer nos braços, pés e mãos do indivíduo e não apenas nas pernas, como é o caso do lipedema.

Hematomas na pele sem causa aparente

Manchas roxas que surgem na região das pernas e quadris sem que a mulher tenha sofrido nenhum trauma também é um fator de alerta para o lipedema.

Essas manchas surgem facilmente por causa da pressão causada pelas inflamações e qualquer toque um pouco mais forte na pele, sem que haja nenhuma intervenção mais agressiva. No linfedema essas manchas não costumam aparecer.

Adolescência, gravidez e menopausa são desencadeadores do lipedema

O lipedema é uma doença genética. Ou seja, a mulher já nasce com predisposição a sofrer com o acúmulo dessa gordura doente nas pernas. No entanto, existem fases da vida da mulher em que o lipedema resolve aparecer. São os períodos em que há bastante movimentação hormonal.

Portanto, se a mulher começou a sofrer com gordura acumulada na parte inferior do corpo durante ou logo após a puberdade, a gravidez ou a menopausa, é possível que ela tenha lipedema.

Essa característica da doença também afasta a obesidade e o linfedema. A obesidade e o linfedema podem se instalar em qualquer fase da vida da mulher e têm causas diferentes, sem relação com fatores hormonais.

Doença com forte fator genético

A mulher que sofre com lipedema certamente possui alguém na família com o mesmo problema e acabou herdando o gene da doença. Essa pessoa pode estar entre os familiares do pai ou da mãe. Portanto, é importante averiguar a situação de todos os parentes.

Também vale lembrar que é possível que algumas gerações fiquem livres dessa doença. Ou seja, o fator genético não garante que todas as mulheres de todas as gerações sofrerão com o problema. 

Assim, é possível que uma avó tenha lipedema, sua filha não tenha,mas a neta pode apresentar os sintomas da doença. É algo que acontece muito.

O linfedema, por sua vez, não depende tão frequentemente de fator genético. A obesidade é resultado da má alimentação, da falta de atividade física e fatores genéticos. 

Enquanto isso, o linfedema pode surgir por causa de uma má formação congênita ou como consequência de outros problemas como tratamentos contra o câncer, pós-operatórios demorados dentre outros.

Outros sintomas do lipedema

Para conhecer mais a doença e ajudar no diagnóstico do lipedema, outros sintomas também devem ser observados. São eles:

  • Cansaço excessivo nas pernas;
  • Mobilidade reduzida por causa do acúmulo de gordura;
  • Dores e problemas no joelho;
  • Dieta e exercícios físicos não apresentam resultados;
  • Pele sem elasticidade;
  • Pernas com temperatura mais baixa em relação ao resto do corpo.

Como vimos, quando acompanhada de outros sintomas, a gordura acumulada nas pernas pode ser um sinal de lipedema. E quanto mais rápido essa doença for diagnosticada, melhor será o efeito do tratamento e também a qualidade de vida da paciente. Agende uma consulta com o seu médico vascular de confiança logo que identificar algum dos sintomas apresentados.

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

>
Rolar para cima
× Precisa de ajuda? Fale conosco! Available from 08:00 to 20:30