fbpx

Dor muscular: como evitá-las e amenizá-las?

()

A dor muscular é bastante presente na vida dos brasileiros. Uma pesquisa realizada pelo IBOPE e Advil apontou que 63% dos brasileiros têm dores musculares a cada três meses. Isso significa mais de 120 milhões de pessoas a cada trimestre.

No entanto, nem sempre as dores surgem por causa das atividades do dia a dia. Aliás, algumas delas podem significar doenças sérias, as quais precisam de atenção médica. Mulheres por volta dos 40 anos são as mais afetadas.

Portanto, nem sempre aquela dor nas pernas é causada pelo exercício físico; em alguns casos pode ser até um sintoma de doença crônica, como o lipedema. Além disso, varizes e úlceras venosas também causam dores nas pernas. Fique sempre de olho nos sintomas.

A melhor forma de lidar com a dor muscular é não a ter. De fato, existem várias formas de manter a saúde do organismo, o que acarreta em menos dores ao longo da vida.

Preparamos um conteúdo completo sobre dor muscular para você. Não deixe de conferir!

Dor nas pernas: cansaço ou varizes?

Depois de um dia longo de trabalho, é comum sentir algumas dores ao longo do corpo. Aliás, quando o trabalho requer muito deslocamento, as pernas são as que mais sofrem. Lojistas, repositores de estoque e promotoras de marcas estão sempre reclamando de dores nas pernas.

Porém, essa dor pode ocorrer mesmo sem realizar esforço algum. É aí que devemos ter cuidado. O mais comum, nesse caso, são as varizes — as famosas aranhinhas na perna.

Um dos sintomas desse problema aparece justamente no fim do dia: temos a sensação de pernas pesadas e cansadas. Mas somente essas sensações não rotula o problema como “varizes”: é importante identificar outros sintomas.

Em resumo, a variz fica estampada na pele. Ela pode tomar a formas de vasos em forma de teias ou aparecer como caroços. Ao notar qualquer uma das formações em sua pele, consulte um especialista o quanto antes.

Um erro comum de mulheres que sofrem desse mal é esperar até que novas varizes apareçam. No entanto, quando a segunda aparecer, a primeira já estará em um estágio mais avançado, o que dificulta o tratamento.

Por falar em tratamento, os mais comuns são cirurgia, laser e aplicação. Porém, há espaço para comprimidos e cremes, mas os recomendados são cirurgia e laser.

Não deixe a variz piorar, OK? Vá a um especialista ao notar algo fora do normal!

Sua dor muscular nas pernas pode ser um indício de úlcera venosa?

Como ficou claro no tópico anterior, nem sempre uma dor muscular é, de fato, uma dor muscular. Nesse sentido, ela pode estar relacionada a alguns problemas mais graves de saúde, e um deles é a úlcera venosa.

São estimados que 1,5% da população da Europa sofra desse mal durante a vida. É um verdadeiro problemão, não é mesmo?

Em resumo, uma úlcera venosa fica localizada próxima ao tornozelo e possui evolução lenta. Uma característica é a melhora da dor quando o membro é elevado; ela costuma ter uma piora durante a noite.

Os fatores que corroboram para essa doença são a obesidade, ficar muito tempo em pé ou sentado, ser sedentário e a idade. Além disso, as mulheres têm mais chances de sofrer com as úlceras. Os homens mais afetados são os que trabalham com aviação, ficam de pé parados ou sentados por muito tempo.

Outros fatores importantes incluem o sedentarismo, hábito de fumar, dieta pobre em nutrientes e histórico familiar. A úlcera pode ser ocasionada por causa de outras doenças como diabetes, aterosclerose, problemas nos tecidos das veias, trombose e até hipertensão venosa.

Para tratar a úlcera, o ideal é realizar movimentos com a perna. Não precisa se esforçar muito: apenas movimentar os pés já ajuda bastante. Além disso, mantenha o membro elevado o máximo possível. Usar meias elásticas também é bastante recomendado.

Você corre o risco de ter lipedema?

Outra condição que causa dor nas pernas, mas que não está relacionada com os músculos é o lipedema. Todavia, vale ressaltar que até os profissionais da saúde têm dificuldade na hora de diagnosticar essa doença. Não seja precipitada ao ler sobre os sintomas, OK?

Um dos principais sintomas do lipedema é a formação de “pilares” de gordura nas pernas. Além disso, “pochetes” de gordura também ficam localizadas nos quadris e nas nádegas. Essas formações apresentam dor ao toque ou quando pressionadas. O uso de roupas apertadas se torna impossível, em alguns casos.

Ninguém sabe ao certo o que causa essa condição. Porém, como as mulheres são maioria, especialistas acreditam que possa haver relação com hormônios. Via de regra, a doença aparece na menopausa, gravidez ou até no fim da puberdade. Há indícios de que fatores genéticos também contribuem para o surgimento da doença.

A melhor forma de prevenir esse mal é com atividade física. Pessoas com casos na família devem praticar pelo menos 45 minutos de esportes, de preferencia aquáticos, 3 vezes por semana. O uso de roupas de compressão é indicado.

Para quem já sofre com a doença, a higiene e hábitos saudáveis são vitais. Mantenha a pele limpa e, se achar necessário, use cremes de pH neutro. Evite roupas apertadas, sutiã, saltos e cintos.

Como amenizar dor muscular em geral?

Com exceção das doenças descritas anteriormente — e algumas outras mais raras —, a dor muscular é causada pela má postura, atividade física intensa e prática de esporte. Aliás, a dor pode durar alguns dias após sua causa, pois há inchaço no músculo lesionado.

O mais recomendado é fazer o famoso tratamento RGCE:

  •       Repouso: O repouso deve ser feito para que o músculo se recupere da lesão. Além disso, sempre que forçar a parte dolorida, repouse por um tempo.
  •       Gelo/Calor: A causa da dor é o inchaço nos músculos, portanto, o gelo é seu maior aliado analgesico e o calor o melhor antiinflamatório natural. O ideal é manter o gelo por cerca de 15 minutos sobre o músculo lesionado.
  •       Compressão: Usar uma cinta de compressão limita os movimentos, ou seja, impede que a lesão fique mais dolorida.
  •       Elevação: Por fim, mantenha a parte dolorida elevada. Isso alivia o inchaço e diminui a dor muscular.

Lembre-se de manter uma dieta balanceada. Comer de tudo um pouco torna nosso corpo mais resistente e saudável. Aliás, também ajuda a aliviar algumas dores. Por fim, pratique exercícios físicos com regularidade. Essa é a melhor forma de evitar a dor muscular.

YouTube video

 

YouTube video

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

>
Rolar para cima
× Precisa de ajuda? Fale conosco! Available from 08:00 to 20:30