Entenda as Especialidades Médicas que Cuidam dos Problemas da Circulação

Sumário

No vídeo, o Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, esclarece o caminho de formação e especialização que um médico percorre para se tornar um cirurgião vascular ou um angiologista. O processo começa na graduação em Medicina, que dura seis anos, seguida pela residência médica inicial em cirurgia geral. A próxima etapa é a residência médica em cirurgia vascular, onde aprendem-se doenças vasculares. Após isso, o médico pode ainda se subespecializar em áreas como cirurgia endovascular ou ecografia vascular. A formação é regulada pela AMB e pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), que também atestam as titulações. Além disso, o médico pode continuar a sua formação acadêmica com mestrado, doutorado e pós-doutorado. Dr. Amato enfatiza a importância do estudo contínuo na área médica, pois a medicina avança rápido. No final, ele aconselha que, ao procurar um tratamento para uma doença vascular, deve-se procurar um cirurgião vascular que tenha percorrido todas essas etapas de formação.

Olá, sou Doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, e hoje eu vou responder a uma pergunta: você sabe quem é o cirurgião vascular? Quem é o angiologista? Sabe qual é o caminho que ele percorreu para chegar até você?

Bom, tudo começa com a graduação, a faculdade de medicina. São seis anos de faculdade, durante a graduação, em que ele vai aprender todas as áreas da medicina. Sendo dois anos finais da graduação, é o internato. Nesse internato, ele já está dentro do hospital, cuidando de pacientes. Antes disso, ele estava formando as bases teóricas. Para entrar na faculdade, é necessário um vestibular, que é extremamente concorrido.

Após isso, ele vai entrar na residência médica e a residência inicial, para quem quer seguir esse caminho, a residência de cirurgia geral. Na residência de cirurgia geral, vai levar entre dois a, e dependendo de como vai ser feito, também tem uma prova muito difícil para entrar.

Quem fez angiologia pode ter iniciado com a residência de clínica médica, mas quem fez cirurgia vascular pode iniciar-se sempre com a residência de cirurgia geral. Então, o cirurgião vascular que fez a formação completa, ele também tem a formação em cirurgia geral. Já tratou e muito, no passado, doenças comuns na cirurgia geral como hérnia, hemorróida, apendicite e outras doenças abdominais.

Após a residência médica de cirurgia geral, o cirurgião vascular vai para residência médica de cirurgia vascular. São mais dois a quatro anos. Também precisa de uma grande prova difícil para passar. Nesse momento, ele vai aprender as doenças vasculares. Então, o material: sistema venoso, sistema linfático, tratando de doenças como aterosclerose, aneurismas, stenosis. Dentro da do rol de doenças venosas: varizes, trombose e outras doenças linfáticas como linfedema, erisipela e muito mais.

Então, nesses dois a quatro anos, eles já está bem dedicado à subespecialidade da cirurgia vascular. Agora, quem regula tudo isso é a AMB pela via da residência médica, graduação. Então, e a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, que é a SBACV. Então, ela vai dar a esses títulos. São títulos que vão; o cirurgião vascular vai recebendo durante a vida.

Após a residência de cirurgia vascular, não, ainda tem muito chão pela frente. Ainda existem as subspecializações. Então, após formado em cirurgia vascular, então ele já é médico da graduação, e já é cirurgião geral da residência de cirurgia geral, ele já é cirurgião vascular da residência de cirurgia vascular, ele ainda vai se subspecializar.

Então, ele pode se subspecializar em cirurgia endovascular, que é onde ele aprende os tratamentos modernos, realizados dentro dos vasos para colocação de stent, embolização e outros procedimentos minimamente invasivos, que é a angiologia radiológica. Então, eles são caminho para ele chegar na cirurgia endovascular.

E ele ainda pode fazer a subspecialização em ecografia vascular. Então, como realizar exames ultrassonográficos, ecográficos, dentro das patologias vasculares. Então, os outros subtítulos, ainda outorgados pela SBACV. O cirurgião vascular pode almejar ainda mais. Ele pode seguir a carreira acadêmica. Se ele quiser, ir fazer um mestrado, doutorado, pós-doutorado, pode chegar a ser até o professor de universidade, se ele almejar aí uma vida acadêmica.

A grande questão aqui é que, nunca acaba o estudo. Não é muito comum, e cirurgião vascular ter passado aí 12 anos de formação para chegar até a especialização, a subspecialização. Mas a gente não pode ficar parado, né? A medicina continua avançando e avança muito rápido.

Boa parte dos procedimentos que eu faço hoje não eram sequer ensinados na faculdade ou mesmo na residência. Tem vários exemplos que eu posso dar. Por exemplo, a cirurgia de varizes com laser, ela chegou no Brasil logo depois que eu terminei a residência. Então a gente começou a fazer quando ninguém fazia, e no momento em que não era ensinado em lugar nenhum. Hoje, talvez já tem algumas residências que ensinem.

A cirurgia endovascular também, na época, eu fui aprender na Itália, passei um ano lá, porque aqui no Brasil não era algo disseminado. O mesmo para outras doenças como o lipedema, que eu tenho falado bastante. Isso não é comentado em faculdade ou residência nenhuma, né?

Então, finalizando, o cirurgião vascular é um médico outra especializado em realizar um tratamento vascular, tanto arterial, venoso quanto linfático. Mas ele passou todo em tom e esses de aprendizado anterior, e é capaz de lidar e tratar com a maior parte da das doenças e situações médicas.

Por isso, sempre que buscar um tratamento para alguma doença vascular, busque um cirurgião vascular que tenha passado por todas essas fases, que tenha isso no seu currículo, disponível na internet, e que tenha sido atestado, então, pela SBACV. E aí, você está com certeza em boas mãos.

Gostou do nosso vídeo? Inscreva-se no nosso canal. Clica no sininho lá embaixo, e até o próximo! E aí, G1? [Música] E aí?

Os problemas de circulação sanguínea podem afetar diversas partes do corpo e requerem a atenção de especialistas variados. Este artigo tem como objetivo esclarecer quais são esses especialistas e como eles atuam.

Cirurgião Vascular e Angiologista: Os Guardiões dos Vasos

O cirurgião vascular e o angiologista são os profissionais dedicados ao cuidado dos vasos sanguíneos (artérias e veias) e linfáticos. Esses especialistas lidam com condições como:

     

      • Aneurismas da aorta

      • Estenose das carótidas

      • Trombose venosa

      • Linfedema
      • Lipedema

    Além disso, são responsáveis por procedimentos como a inserção de catéteres para quimioterapia e criação de fístulas arteriovenosas para hemodiálise. Os tratamentos variam de medicamentos a cirurgias convencionais e endovasculares, estas últimas caracterizadas por serem menos invasivas.

    Cardiologistas: Especialistas do Coração

    Os cardiologistas se concentram nos vasos sanguíneos do coração. Eles tratam de condições como:

       

        • Infarto do miocárdio

        • Arritmias cardíacas

        • Doenças das válvulas cardíacas

      Esses especialistas realizam diagnósticos e tratamentos principalmente através de medicamentos. Em casos que requerem intervenções mais complexas, como cateterismos cardíacos, entra em cena o hemodinamicista. Já as cirurgias cardíacas são realizadas por cirurgiões cardíacos.

      Neurologistas e Neurocirurgiões: Foco no Cérebro

      Quando os problemas vasculares afetam o cérebro, os neurologistas são os profissionais indicados. Eles tratam condições como aneurismas cerebrais, hemorragias e malformações vasculares. Em procedimentos que exigem cateterismos cerebrais, o neurointervencionista, que é um radiologista especializado, é o profissional adequado. Neurocirurgiões realizam as cirurgias necessárias em casos mais graves.


      Conclusão

      Compreender a especialidade médica certa para cada problema de circulação é fundamental para buscar o tratamento adequado. Cada área tem sua especificidade e importância, garantindo um cuidado integral ao sistema circulatório.

      >
      Rolar para cima
      error: Alert: Content selection is disabled!!