fbpx

Por que devemos nos alimentar com consciência?

Alimentação consciente
()

Alimentação consciente é a experiência de comer ou beber com atenção total ao que está sendo ingerido. Um processo que começa com a escolha de cada ingrediente ou alimento. Também faz parte da alimentação com consciência a percepção dos impactos dos alimentos sobre o nosso corpo, além de saber o real motivo por trás daquelas escolhas. Mas, por que nos alimentar com consciência é assim tão importante? A seguir, você vai entender os motivos.

Por que investir na alimentação com consciência?

A alimentação consciente é um hábito pouquíssimo praticado. Normalmente, somos acostumados a fazer todas as refeições no modo automático, comendo rapidamente para dar tempo de fazer a tarefa seguinte. Algo comum na vida corrida que levamos.

O fato é que toda essa rapidez e desconhecimento nos estimula a manter uma alimentação errada, dando pouca ou nenhuma atenção aos valores nutricionais dos alimentos, comprometendo a nossa saúde.

Diante disso, podemos listar alguns motivos importantes para que a alimentação consciente faça parte da rotina de todos:

 

Compreensão sobre o que você come

Qual a quantidade de água que você tomou ontem? E o que comeu no almoço? Você sabe? Poucas pessoas têm a resposta para estas perguntas. Quando você pratica a alimentação consciente, é mais fácil ter domínio sobre as suas escolhas e optar pelo que faz bem a você e não pelo que dizem ser o certo.

De acordo com o conceito de bio individualidade, e que tem tudo a ver com a alimentação consciente, o que é bom para um não necessariamente é para o outro. E assim vamos fazendo nossas escolhas baseados no que realmente funciona para nós.

 

Conhecimento aprofundado sobre o seu corpo

Você já deve ter ouvido aquela frase “Somos o que comemos”. De fato, o que consumimos todos os dias possui influência direta no nosso organismo. E essa influência pode ser para o bem ou não. Não é difícil entender isso, uma vez que existem os alimentos que são mais nutritivos e outros nem tanto.

Quando você pratica a alimentação consciente, você consegue perceber como funciona o seu corpo em relação aos alimentos que consome. Como vimos, cada indivíduo reage de forma diferente a determinados alimentos.

Então, ter consciência do que se come permite perceber se algum sintoma ou sensação está relacionado ao alimento ingerido. E, depois, realizar testes substituindo esses itens.

 

Autoconhecimento emocional e alimentar

Quando você pára e começa a perceber o que o motivou a fazer uma refeição, você conhece melhor as suas emoções e suas necessidades biológicas também. Será que você come porque está com fome ou porque está entediado, cansado, nervoso ou ansioso?

Registrar as refeições ao longo do dia e também as suas emoções permite fazer um parâmetro e descobrir a relação entre uma coisa e outra. 

Então, se, em um dia, você preferiu um hambúrguer no almoço em vez de uma refeição tradicional, e verificou que estava tensa com um trabalho para entregar, você consegue identificar alguma relação de causa e efeito.

 

Escolhas alimentares melhores

A alimentação consciente permite que você se torne mais seletivo nas suas escolhas diárias, preferindo o que lhe faz bem e evitando ou reduzindo o consumo do que causa desconforto. Você se torna responsável direto pelo que faz consigo mesmo.

É claro que não estamos falando de nenhum milagre. Estamos falando de autoconhecimento e responsabilidade. Se você sabe que o doce em excesso deixa você mais cansado e indisposto, além de favorecer o ganho de peso, você vai diminuir, mas não eliminar de vez se não quiser.

Alimentação com consciência: a base da dieta anti-inflamatória estratégica

A dieta anti-inflamatória estratégica trata-se de uma reeducação alimentar que ajuda o indivíduo a retirar da sua alimentação aqueles itens com potencial inflamatório e que podem causar doenças ou agravar problemas já existentes..

É aqui que entra a alimentação com consciência. É ela que nos permite identificar, através da observação do nosso corpo, quais são os efeitos de alguns alimentos que comemos na nossa saúde em geral.

Depois que identifica quais alimentos inflamam, o recomendado é que o indivíduo retire-os do seu cardápio ou, ao menos, reduza a sua ingestão. Geralmente, o corpo humano reage bem a agentes externos inflamatórios, mas desde que esteja saudável.

Quando o corpo já está altamente inflamado ou vulnerável por causa de alguma alteração, qualquer novo acréscimo de agente inflamatório pode ser a gota d’água, o que faltava para o copo transbordar.

Então, a dieta anti-inflamatória estratégica estimula o consumo de alimentos naturais que podem influenciar diretamente em um corpo equilibrado e saudável, livre de inflamações.

Para isso, os alimentos possuem em sua composição substâncias conhecidas naturalmente pela ação contrária à inflamação. São antioxidantes, vitaminas, minerais, fibras dietéticas e ácidos graxos. 

A dieta também pode ajudar na perda de peso, apesar de não ser esse o foco. O emagrecimento é esperado porque a base da dieta anti-inflamatória são os alimentos naturais e pouco calóricos.

Além disso, são ricos em fibras que dão saciedade, estimulam o funcionamento do intestino, e também aceleram o metabolismo, agilizando a queima de gordura.

 

E como praticar a alimentação consciente

O primeiro passo é avaliar os seus hábitos alimentares e identificar em que circunstâncias você faz as suas refeições. Perceba o local, as pessoas com quem você divide o espaço, os alimentos que você põe no prato, o que faz enquanto come e como se sente após cada refeição.

Na prática, o que você pode fazer:

  • Evitar distrações na hora das refeições, deixando de lado a televisão ou o celular;
  • Dedicar tempo à cada refeição, mastigando bem os alimentos e saboreando cada ingrediente;
  • Escolher um ambiente saudável, calmo e confortável para se alimentar;
  • Fazer a própria comida, se possível, usando ingredientes saudáveis e naturais;
  • Fazer sempre que possível as melhores escolhas dentro de uma oferta variada de opções;
  • Sentar para comer, evitando refeições rápidas todos os dias;
  • Elaborar um diário alimentar e registrar tudo que consome e o que bebe ao longo do dia;
  • Anotar as suas emoções ao longo dos dias e tentar descobrir alguma relação entre elas e a comida;
  • Observar também os sinais do seu corpo, verificando se são consequências de algum alimento, fazendo substituições e observando se há mudança nos sintomas.

Estabelecer uma rotina de alimentação consciente pode não ser algo fácil, devido à rotina agitada das pessoas. Mas, sem dúvidas, é um desafio que vale a pena porque os benefícios são inúmeros, especialmente na questão da saúde do corpo humano, além, claro, do autoconhecimento alimentar e emocional, também essenciais para uma vida com mais qualidade.

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

>
Rolar para cima
× Precisa de ajuda? Fale conosco! Available from 08:00 to 20:30