Fumo: Alguns dados para você refletir

()

São cerca de 4.720 substancias tóxicas existentes na fumaça do cigarro que trazem riscos à saúde do fumante. Além das mais conhecidas como nicotina, alcatrão e monóxido de carbono, a fumaça contem substâncias radioativas, como polônio 210 e cádmio (encontrado em baterias de carros).

Mas você pode argumentar…

“muitas pessoas fumam e não adoecem.

Outras não fumam e adoecem”.

O importante é entender o que é se expor a riscos.

Por exemplo: se você atravessar uma rua movimentada de olhos fechados, poderá chegar ao outro lado sem se machucar – mas seu risco de ser atropelado é bem maior do que se você atravessar de olhos abertos na faixa de pedestres.

Da mesma forma, se você fuma, está se arriscando mais do que aqueles que não fumam.

 

Estatísticas revelam que os fumantes comparados aos não fumantes, apresentam um risco

 

  • 10 vezes maior de adoecer de câncer de pulmão;
  • 5 vezes maior de sofrer infarto;
  • 5 vezes maior de sofrer bronquite crônica e enfisema pulmonar;
  • 2 vezes maior de sofrer derrame cerebral.

Além destes riscos as mulheres fumantes devem saber que

 

O uso de anticoncepcionais associado ao cigarro aumenta em 10 vezes o risco de sofrer derrame ou infarto.

Grávidas fumantes aumentam o risco de:

  • Ter aborto espontâneo em 70%;
  • Perder o bebê próximo ou depois do parto em 30%;
  • O bebê nascer prematuro em 40%;
  • Ter um bebê com baixo peso em 200%

 

Fumar é risco que podemos evitar.

Como você achou esse post útil...

Sigam nossas mídias sociais

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

nv-author-image

Alexandre Amato

O Dr Alexandre Amato é médico, professor de cirurgia vascular da Universidade de Santo Amaro (UNISA), e tem quatro especialidade médicas reconhecidas pelo MEC e respectivas sociedades: cirurgião geral, cirurgião vascular, angiorradiologista e ecografista. Formou-se na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e especializou-se em vários hospitais privados e públicos em São Paulo. Aprofundou-se em cirurgia vascular em Milão, no hospital San Raffaele da Università Vita-Salute. Quando voltou, fez seu doutorado em cirurgia cardiotorácica na Universidade de São Paulo (USP). Fundou a Associação Brasileira de Lipedema para divulgar conhecimento de qualidade às mulheres portadoras de Lipedema.