Disfunção Erétil e a Conexão com Problemas Circulatórios

A disfunção erétil (DE) é um tema delicado, mas extremamente importante na saúde masculina. Aproximadamente 62% dos homens experimentam algum grau de disfunção erétil, um assunto que muitos evitam discutir até mesmo com médicos, por vergonha ou medo. No entanto, é crucial entender que a DE não apenas afeta a qualidade de vida, mas também pode ser um indicativo de problemas de saúde mais graves, especialmente relacionados à circulação sanguínea.

Sumário

O Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, aborda a relação entre má circulação sanguínea e disfunção erétil, um problema comum que afeta 62% dos homens em algum grau. Ele explica que a disfunção erétil, especialmente se persistente, pode ser um indicativo de problemas circulatórios mais sérios, como a aterosclerose. Além disso, discute outros fatores de risco como hipertensão, tabagismo, obesidade, diabetes e sedentarismo. O Dr. Amato também menciona a importância do diagnóstico precoce e do diálogo aberto com profissionais de saúde, ressaltando que a disfunção erétil pode ser um sintoma precoce de outras doenças.

Má circulação pode te deixar brocha  e este selo aqui pode ajudar a te alertar do problema.  Quer saber como? Fica aqui comigo.  62% dos homens têm algum grau de disfunção erétil  e têm vergonha ou medo de conversar  sobre esse assunto com o seu médico.  E isso pode acabar atrasando o diagnóstico  de alguma doença, entre elas doenças circulatória  e pode acabar se desenvolvendo em problemas piores.  Eu sou Dr.  Alexandre Amato,  cirurgião vascular do Instituto Amato,  e ajudo pessoas com problemas circulatórios  a entenderem a sua doença e melhorarem a sua  qualidade de vida.  Em primeiro lugar, eu preciso falar  que a disfunção erétil, se for ocasional,  se for passageira,  ela é normal, pode acontecer com qualquer um.  Tem que começar a ficar  atento, principalmente  se isso se repete e perdura por três meses  e aí sim, tem que procurar o especialista.  Normalmente a especialidade médica  responsável por isso é a urologia.  Só que muitas vezes o problema é de origem vascular.  Muitas vezes não  é um problema isolado, mas sim um sintoma em decorrência  de algum outro problema  de saúde que acaba afetando a saúde sexual masculina.  E aí entram as doenças cardiovasculares.  É óbvio que existem várias outras causas.  Existem problemas  psicológicos, psiquiátricos, existem problemas hormonais.  Alguns medicamentos  também podem trazer uma disfunção sexual entre eles  medicamentos para pressão, antidepressivos e vários  outros.  Drogas ilícitas também podem causar.  E eu tenho que lembrar  também que existem algumas doenças cardiovasculares  que até contra indicação, proíbem de ter relação sexual,  por exemplo,  um infarto recente ou uma insuficiência cardíaca  avançada qualquer.  E esforço físico pode levar a um desfecho ruim,  então é muito bom ter um acompanhamento cardiovascular.  Aí é o cardiologista que faz essa avaliação.  Então, a ereção é um processo essencialmente vascular.  É necessário  a entrada de uma quantidade  maior de sangue nos corpos cavernosos  para que ocorra uma ereção satisfatória.  Esse fluxo de sangue ele tem que aumentar  e ficar ali naquela região para que o pênis  fique enrijecido.  E aí qualquer disfunção  circulatória que diminua a quantidade de sangue  que chega no pênis pode atrapalhar a ereção.  Então imagine,  existe todo um  encanamento arterial que vai levar o sangue  oxigenado até o pênis se tiver uma obstrução.  E aí a mais frequente delas é a aterosclerose.  A deposição de placas de gordura de cálcio  que acaba fechando essas artérias, vai diminuir  a quantidade de sangue que chega no membro  e vai acabar dificultando então a ereção.  Exatamente por isso,  os fatores de risco da disfunção erétil  são os mesmos da doença aterosclerose.  Então vamos lembrar a eles.  Hipertensão arterial  então é um fator de risco para  doença arterial e também é um fator de risco  para disfunção erétil tabagismo.  Então fumar é uma catástrofe para a sua circulação  e para sua saúde sexual.  Obesidade, diabetes, sedentarismo, colesterol alto,  tudo isso pode causar  dano na parede arterial e na sua circulação peniana.  E tudo isso ocorre por uma disfunção  também da parede endotelial,  que é o início da lesão da placa aterosclerose.  A diabetes é uma causa muito comum  da disfunção sexual e aí ocorre  não só a disfunção erétil,  mas também a disfunção ou uma perda da libido.  Então a queda da nossa saúde em geral  pode diminuir a libido.  Então imagina o seguinte lá atrás, na época das cavernas,  se a gente estava doente ou com algum problema de saúde,  qual que era o benefício em procriar?  A gente tem que estar bem para conseguir procriar,  Então é uma defesa do corpo diminuir a libido  quando a gente está doente  ou quando tem alguma coisa no nosso ambiente  que está dificultando a nossa vida.  Naquela época  a gente podia pensar na falta de comida,  num inverno rigoroso e tudo isso  aumenta a inflamação, aumenta a dificuldade.  Então, para procriar a aterosclerose,  então ela é causa da disfunção  erétil em 40% dos homens acima de 50 anos.  Por outro lado, metade dos homens que tem  alguma doença cardiovascular também tem disfunção erétil.  Acho que ficou claro  a correlação dos dois problemas renais e Richard,  cirurgião vascular,  descreveu em 1914 uma síndrome que hoje leva seu nome.  Esse aqui é uma curiosidade.  Eu tenho uma receita aqui da minha coleção pessoal.  Meu avô conseguiu essa receita do professor Le Riche.  Então  ele, Riche, descreveu a doença oclusiva, a orto ilíaca.  O que quer dizer isso?  Quer dizer,  é uma placa que fecha a horta, a horta, a principal artéria  do nosso organismo, que vai levar  sangue lá pras pernas.  Só que antes de bifurcar nas ilíaca e levar o sangue  pras pernas, ela vai acabar irrigando  vários órgãos abdominais  e entre eles também  vai levar o sangue  para as pernas  e entre eles também vai levar o sangue para o pênis.  Então quando ocorre  essa obstrução, uma rolha nessa orta distal  vai acabar diminuindo o fluxo nas pernas,  então vai ter uma claudicação, ou seja, a dor ao caminhar  em nada e gases e coxas,  mas também vai ter uma diminuição do pulso  nas artérias e moraes então não vai ter pulso,  não vai chegar esse sangue na região da virilha  e em homens não vai chegar  o sangue no pênis e não vai ter a ereção.  Essa é uma doença puramente vascular e que acaba  trazendo um sintoma na saúde sexual masculina.  Então agora eu vou explicar  como que o selo pode ajudar nisso.  Esse teste baseia  se na ocorrência fisiológica, direções reflexas que ocorrem  normalmente na fase REM do sono.  É o método mais simples de monitorização.  Colocando uma carreira de selos ao redor do pênis.  O teste vai ser positivo  e é quando ocorre a ruptura do serrilhado dos selos.  Hoje em dia  também existem aparelhos para fazer esse tipo de medição.  Os medicamentos para impotência sildenafil,  o tadalafila vale o desafio e vários outros.  Eles causam a vasodilatação, então aumenta  o diâmetro da artéria  de forma  que vai chegar mais sangue no corpo cavernoso do pênis.  Então, se é uma doença puramente vascular,  o que a gente pode fazer para prevenir?  É tudo o que o cirurgião vascular aqui tem falado no canal Sempre.  Então são os mesmos fatores de risco.  A gente tem que fazer a mesma coisa para prevenir.  Em primeiro lugar, tem que hábitos de vida saudáveis.  Então exercício físico, alimentação, dieta correta,  evitar obesidade, não abusar do álcool,  se fumar, parar de fumar ou se não fuma, não começa não  usar drogas e fazer um check up cardiovascular.  Normalmente o cirurgião vascular.  Ele vai pegar o paciente no momento em que já tem  lesão, então  ele não está  fazendo a prevenção e normalmente ele já está  na fase do tratamento.  O especialista que cuida da prevenção  cardiovascular normalmente é o cardiologista,  é o clínico que está lá cuidando sempre  para evitar o aparecimento e a progressão dessa lesão.  Agora, se já tem uma disfunção erétil, aí não tem jeito, aí  tem que passar.  E com o urologista  ele vai avaliar se a causa é vascular  ou se tem algum outro tipo de causa  e se for necessário uma intervenção nos vasos,  aí o cirurgião vascular entra para ajudar.  E aí nesses casos, o vascular  acaba fazendo a desobstrução dessa artéria  de uma forma cirúrgica que pode ser aberta  na cirurgia, que com o corte hoje em dia tem a cirurgia  ainda o vascular  acaba conseguindo abrir muitas dessas lesões  e melhorando o fluxo na região pélvica.  Agora eu queria lembrar, independente do seu médico  da especialidade, o seu médico,  comente com ele se está tendo alguma dificuldade de ereção,  porque isso pode ser um sintoma precoce de algum,  alguma outra doença, algum desenvolvimento  que ele pode evitar.  Não tenha medo, não tenha vergonha.  E aí, conhece alguém que precisa dessa informação?  Pega o link lá em cima e encaminha que ajude o próximo.  E aí, você já falhou alguma vez na vida?  Escreve lá embaixo nos comentários.  Eu tenho certeza.  Se alguém que estiver com vergonha de falar  pro seu médico e ler lá que não está sozinho,  isso vai ser um impulso para melhorar a qualidade de vida.  Gostou desse vídeo?  Inscreva se no nosso canal, clica no sininho  para receber as notificações  e fica aí que eu vou colocar o próximo  melhor vídeo para você assistir.

Entendendo a Disfunção Erétil

A disfunção erétil ocasional ou passageira é considerada normal e pode acontecer com qualquer um. Contudo, quando a DE se torna recorrente, persistindo por mais de três meses, é essencial procurar um especialista. Enquanto a urologia é frequentemente a especialidade médica associada à DE, muitas vezes o problema tem origem vascular.

A Ligação com Doenças Cardiovasculares

Doenças cardiovasculares podem ser uma causa significativa da DE. A ereção é um processo vascular que requer um aumento do fluxo sanguíneo nos corpos cavernosos do pênis. Qualquer disfunção circulatória que reduza esse fluxo sanguíneo pode comprometer a ereção. Por exemplo, a aterosclerose, caracterizada pela deposição de placas de gordura e cálcio que obstruem as artérias, é uma causa comum de redução do fluxo sanguíneo para o pênis.

Fatores de Risco

Os fatores de risco para disfunção erétil são frequentemente os mesmos que contribuem para a aterosclerose. Estes incluem:

  • Hipertensão arterial
  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Diabetes
  • Sedentarismo
  • Colesterol alto

Esses fatores podem causar danos nas paredes arteriais e afetar a circulação peniana. A diabetes, por exemplo, é uma causa comum de disfunção sexual, afetando tanto a ereção quanto a libido.

O Papel do Estilo de Vida na Prevenção

Para prevenir a DE, principalmente de origem vascular, é essencial adotar hábitos de vida saudáveis. Isso inclui exercício físico regular, uma alimentação balanceada, evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool, e realizar check-ups cardiovasculares periódicos.

Quando Procurar Ajuda Médica

Se você está enfrentando dificuldades com a ereção, é importante conversar com seu médico, seja ele um clínico geral, cardiologista ou urologista. A DE pode ser um sintoma precoce de outras doenças, e abordá-la prontamente pode prevenir complicações futuras. Não há motivo para vergonha ou medo; a saúde sexual é um componente vital do bem-estar geral.

Conclusão

A disfunção erétil é mais do que um problema isolado; pode ser um sinal de alerta para problemas de saúde mais sérios, como doenças cardiovasculares. A compreensão dessa conexão e a proatividade na busca de ajuda médica são essenciais para a saúde e qualidade de vida.

>
Rolar para cima
error: Alert: Content selection is disabled!!