Dor na Perna: Entendendo se é Reumatismo ou Problema na Circulação

Dores nas pernas são uma queixa comum, mas a origem dessas dores pode variar amplamente, desde doenças reumáticas até problemas de circulação venosa. Compreender a diferença entre essas duas causas é essencial para buscar o tratamento correto e alívio efetivo. Este artigo tem como objetivo elucidar as características distintivas do reumatismo e dos problemas circulatórios, oferecendo insights sobre os sintomas, diagnóstico e abordagens terapêuticas de cada condição. Ao desvendar as particularidades de cada doença, buscamos destacar a importância de um diagnóstico médico preciso e especializado, enfatizando que, embora possam parecer semelhantes, o tratamento para dores causadas por problemas reumáticos difere significativamente daqueles destinados a problemas circulatórios. Este guia é um passo inicial para compreender as possíveis causas das dores nas pernas e a importância de buscar orientação médica adequada.

Sumário

No vídeo, o Dr. Alexandre Amato, um cirurgião vascular, analisa 12 sinais de má circulação sanguínea, explicando que a má circulação pode indicar um problema no sistema arterial, venoso ou linfático. Os sinais que ele discute incluem dor regular (que pode variar em tipo dependendo de qual sistema está afetado), inchaço regular (geralmente indicando um problema venoso ou linfático), o aparecimento de varizes, úlceras crônicas, alteração na cor da pele, alteração na temperatura da pele, infecções recorrentes, perda de pêlo, alteração no crescimento das unhas, atrofia muscular e formigamento ou dormência. Ele também menciona dois sintomas menos conhecidos: amaurose fugaz (cegueira monocular transitória) que geralmente indica um problema vascular que pode levar a um derrame cerebral, e a síndrome do dedo azul, quando um dedo torna-se azulado devido à falta de oxigênio. O Dr. Amato aconselha qualquer pessoa que experimente esses sintomas a falar com seu cirurgião vascular.

Olá! Sou o Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato e hoje vou falar 12 sinais da má circulação. Então em primeiro lugar o que é a má circulação? Má circulação é um termo que eu não gosto muito, é um termo extremamente genérico, pode significar um problema tanto no sistema arterial, como no sistema venoso, como no sistema linfático. É um problema assim similar, se eu falasse para um eletricista que tem um problema elétrico, ou usando uma piadinha interna, ou falar para o encanador, que na verdade o cirurgião vascular acaba lidando com os canos do corpo, com os vasos, falar para o encanador que tem um problema de encanamento. Então má circulação é extremamente genérico, pode significar qualquer problema dentro da especialidade da angiologia e da cirurgia vascular. Mas isso não me impede de falar quais são os 12 principais sinais de um problema de má circulação. Sem sombra de dúvidas, o principal, número 1 é a dor! Então a dor acomete a grande maioria dos pacientes que têm má circulação. A questão é que a dor, ela pode ser um pouco diferente, então num problema da circulação venosa, essa dor pode aparecer com uma sensação de peso, cansaço nas pernas. Agora numa situação onde o problema é arterial, essa dor pode ser mais uma claudicação intermitente, então aquele paciente que caminha e aí ele tem que parar por causa da dor, e essa dor em grupos musculares, então panturrilha, glúteo, todos os músculos da coxa e perna. Então porquê? Porque falta oxigênio, não tem oxigênio para produzir a energia necessária para contração muscular. Então falei a primeira causa de toda, sem sombra de dúvidas é a dor. Agora vou falar a segunda causa, a segunda causa é bem interessante, porque ela quase que separa um grupo de doenças, de outra. Então é o inchaço, o edema. Esse inchaço em membros inferiores, normalmente ele está relacionado a um problema venoso ou a um problema linfático. É muito raro ter inchaço num problema arterial, o que pode acontecer é coexistir. Pode ter o problema arterial junto com um problema venoso e/ou linfático. Agora quando tenho esse inchaço, normalmente a gente está pensando no problema venoso, linfático ou ainda o Lipedema que eu falo bastante nos outros vídeos aqui do canal. O terceiro sinal, bastante frequente também, é o aparecimento de veias tortuosas, dilatadas em membros inferiores, são as famosas varizes. Ela só é extremamente frequente, porque varizes é muito frequente. Então a gente vai encontrar desde varizes que tem uma questão mais estética, desde uma insuficiência venosa que tem um problema de uma má circulação venosa aí muito mais significativo, podendo causar desde manchas, eczema, coceira, uma pele mais endurecida. E tudo isso pode ser desencadeado por causa dessa insuficiência venosa. A ponto de levar ao quarto sinal de má circulação que seria as feridas, as úlceras nas pernas, em primeiro lugar eu vou separar a ferida, de úlcera. A ferida, mormalmente são mais agudas, são aqueles ferimentos que acontecem e podem resolver em torno aí de 15 dias. Agora as úlceras, não, as úlceras são crônicas, um dia elas podem ter sido ferida só que por ter se perpetuado por muito tempo, elas acabam se cronificando e viram as úlceras, então as feridas e úlceras podem ser decorrentes de má circulação. Pode ser tanto pela má circulação venosa, quanto pela má circulação arterial e mesmo até linfática, então só a presença da úlcera, a gente não consegue definir qual o sistema que está acometido, mas todo o aspecto dessa úlcera pode indicar, por exemplo, o formato da úlcera, a localização pode direcionar para uma úlcera venosa, uma úlcera mais dolorosa, com bordas delimitadas, com áreas necróticas, tecido morto, pode indicar mais uma úlcera arterial, ou pode ter também o úlcera mista também. Já falei de tudo isso aqui em outros vídeos do canal! Agora a mudança de coloração também é um sinal de má circulação. Veja, quando a gente tem uma obstrução arterial, a gente vai ter uma palidez, se isso se prorrogar, pode ter até uma gangrena que muda de cor, pode ficar até preto o pé. Ele normalmente as cores que chamam a atenção pra gente são a palidez, quando fica bem bem clarinho, a Cianose que é quando fica bem roxinho o membro. Essa coloração pode ter várias tonalidades de roxo e quando fica muito vermelho quando fica hiperemiado, fica esse vermelhão, também é importante. Então a questão pode ser a coloração fixa, pode ser a coloração que fica mudando de cor, ou em sequência quando tem a sequência da mudança de cor, pode ser o fenômeno de Raynaud, que é um vaso espasmo quando essa artéria se fecha. Por exemplo, desencadeada pelo frio ou desencadeada por algum stress, isso pode acontecer e levar à má circulação, com alteração da coloração. Outro sinal é a mudança da temperatura, então a gente pode ter áreas mais frias, áreas mais quentes. Normalmente as áreas mais frias indicam uma má circulação onde não chega o sangue arterial, e áreas mais quentes podem sugerir uma infecção, por exemplo, uma infecção do sistema linfático, uma erisipela, por exemplo. Então essa mudança da temperatura, pode ser no mesmo membro ou comparado com outro membro. Então se você tem uma perna quente, uma perna fria, alguma coisa está errada e pode sim ser um problema de má circulação. As infecções recorrentes como já mencionei, a erisipela, por exemplo, que deixa o vermelhão, que deixa febre, que deixa até em alguns casos aquelas bolhas, elas podem indicar um problema de má circulação linfática. Um outro sinal interessante são as alterações tróficas, como perda de pêlo, por exemplo, na insuficiência venosa mais avançada, começa a perder pêlo abaixo do joelho. Às vezes as pessoas acham que é por causa da meia que está usando, que está fazendo atrito, até pode colaborar, mas a insuficiência venosa por muito tempo acaba fazendo cair esses pêlos, então há uma mudança da pilificação. Uma outra coisa seria a velocidade de crescimento das unhas, então se alguém tem uma obstrução arterial crônica de um lado da perna e não tem do outro, pode ter uma velocidade de crescimento da unha diferente, então uma unha na perna boa cresce mais rápido e a unha na perna ruim cresce muito lentamente. Então a frequência de cortar unha, pode ser uma dica de má circulação nas pernas. Quando não chega sangue adequadamente na perna, ou seja, de novo má circulação, há uma atrofia muscular, então esse músculo começa a se atrofiar, então perde força, essa atrofia muscular também é um sinal da perda da circulação arterial. Nós temos também as parestesias que seriam o típico formigamento, quando a gente sente um formigamento em alguma extremidade que pode ser nas mãos, pode ser nos pés. Isso muitas vezes está relacionado com uma questão neurológica, mas em uma parcela desses pacientes, a influência da má circulação é enorme. Então a gente pode ter, por exemplo, no diabetes, a lesão do Vasa nervorum, o que é o Vasa nervorum? São os pequenos vasinhos que irrigam os nervos, então esses vasinhos perdem essa capacidade de irrigar os nervos de forma adequada, os nervos morrem e o paciente passa a ter esse formigamento ou essa dormência relacionado a um problema neurológico e vascular. Agora algumas obstruções arteriais também podem levar esse formigamento e dormência, então pode ser um sinal de má circulação também. Agora um sinal bem interessante que eu tenho certeza que você nunca ia imaginar que era um sinal de má circulação é a amaurose fugaz. Vou falar o que é a amaurose fugaz. É a cegueira monocular transitória, ou seja, você fica cego de um olho por um período e depois essa visão volta. Então imagina, você parou de ver por um olho só, aí você começa a ficar bem preocupado e quando você começa a se preparar para ir para o hospital, volta a enxergar. Aí você marca uma consulta, com quem você vai marcar consulta? Com certeza não é com um cirurgião vascular, você vai marcar com um oftalmologista que é o médico do olho. E aí, você vai descobrir que na verdade isso é um problema vascular. Muitas vezes é uma placa na carótida que se desprendeu e foi parar na artéria retiniana, causando essa cegueira transitória, e é um pequeno sinal de que pode vir a ter um AVC, um derrame em pouco tempo. É um sinal essencialmente de má circulação e esse mesmo problema pode levar a outro sinal que eu queria mencionar, que é a síndrome do dedo azul, quando a gente fica com o dedo azul de forma fixa, é isquemia, falta de oxigênio nessa periferia. Agora por que acontece isso? Quando uma pequena placa aterosclerótica, também ocorre o desprendimento de micro cristais de colesterol, mas ao invés de ir parar na artéria retina, vão parar numa artéria bem distal do dedo, uma artéria bem fininha, e aí, causa essa pequena área de isquemia. Então, eu falei aqui 12 sinais frequentes de má circulação que pode ser de má circulação arterial, venosa ou linfática. Se você tiver qualquer um desses sinais, eu recomendo conversar com seu cirurgião vascular que ele vai poder te ajudar com certeza. Gostou desse vídeo! Inscreva-se no nosso canal, compartilhe com seus amigos e até o próximo!

Dores nas pernas podem ter várias origens, sendo duas das causas mais comuns as doenças reumáticas e os problemas de circulação venosa. Este artigo visa fornecer informações para ajudar a diferenciar entre essas duas condições, destacando a importância de um diagnóstico médico preciso e do tratamento adequado.

Doenças Reumáticas

Doenças reumáticas afetam frequentemente as articulações, causando dor, inchaço e rigidez. Os sintomas comuns incluem:

  • Dor nas articulações, como joelhos e tornozelos.
  • Piora da dor durante o repouso e melhora com movimento.
  • Inchaço e rigidez articular, especialmente ao acordar.
  • Outros sintomas podem incluir aftas na boca, febre, aumento de ínguas, perda de força nas pernas, e problemas nos olhos e unhas.

Problemas na Circulação Venosa

Problemas de circulação, como insuficiência venosa, apresentam sintomas distintos, incluindo:

  • Dor no fim do dia, especialmente do joelho para baixo.
  • Inchaço e sensação de peso nas pernas.
  • Presença de varizes ou escurecimento da pele no tornozelo.
  • Alívio dos sintomas ao elevar as pernas.

Diagnóstico e Tratamento

A definição diagnóstica pode ser complexa e requer avaliação detalhada por um médico. Exames de sangue e de imagem, como ultrassom, tomografia e ressonância, podem ser necessários para confirmar o diagnóstico. O tratamento varia amplamente entre doenças reumáticas e problemas circulatórios, enfatizando a importância de uma avaliação especializada.


É fundamental não auto-diagnosticar ou auto-medicar dores nas pernas. As semelhanças iniciais entre reumatismo e problemas de circulação podem levar a confusões, mas um médico capacitado poderá conduzir o diagnóstico correto e encaminhar para o tratamento mais eficaz. Se você está enfrentando dor nas pernas, o primeiro e mais importante passo é buscar orientação médica para entender a causa e iniciar o caminho para o alívio e recuperação.

>
Rolar para cima
error: Alert: Content selection is disabled!!